BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




VIOLÊNCIA NAS  ESCOLAS  : 

 

90%  DOS PROFESSORES SE SENTEM

INSEGUROS NAS ESCOLAS

 

Apenas 10,6% dos professores da rede pública do Estado de São Paulo se sentem seguros no trabalho. A estatística foi resultado de uma pesquisa realizada pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), que ouviu 684 docentes no final do ano passado. A rede tem 250 mil professores.

 

Em todo o Brasil, multiplicam-se os casos divulgados de violência na escola, como o assassinato de um professor no Espírito Santo ou o caso de uma estudante que esfaqueou a colega. Sem contar nas ameaças virtuais, cada vez mais presentes. É agressão contra professor, docente que ofende aluno, briga entre estudantes, problemas na relação dos pais com a instituição escolar, enfim, parece que a agressividade vem de todos os lados e dispara num círculo vicioso.

 

Mas, segundo especialistas, não é possível dizer que o número de atos violentos aumentou. Isso porque não há números precisos e porque, o que era considerado indisciplina no passado, hoje é classificado como agressão. Daí, qualquer ofensa vira caso de polícia e não é trabalhada pedagogicamente.

 

Segundo a socióloga Caren Ruotti, pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência e co-autora do livro “Violência na escola – um guia para pais e professores”, as estatísticas sobre casos de agressões são imprecisas. “Não é possível dizer que aumentou a violência. Os levantamentos que existem não são contínuos no tempo e é difícil ter a dimensão real do assunto. O que tem são relatos”, afirma.

 

Para o professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Júlio Groppa Aquino, a violência na escola virou uma “crença performativa”, ou seja, as pessoas acreditam que ela existe, acabam produzindo mais violência e fazem com que, de fato, a violência se torne verdade.

 

A culpa é de quem?

 

Achar um culpado é uma medida que, segundo Caren, não ajuda a resolver o problema. “Não adianta culpar o professor, o aluno, a escola, a família. Só o trabalho conjunto para a prevenção é que pode ajudar. É preciso agir antes de a violência ocorrer”, diz.

 

Ela pondera que dizer que a família é que não educa as crianças também é uma saída fácil e só mascara o quadro. “Muitas mães estão mais ausentes, porque têm de trabalhar. Mas não é só por isso que acontece a violência. Muito disso também é preconceito”, afirma.

 

Como melhorar?

 

Para mudar o quadro, Groppa é enfático: é preciso um grande pacto civil. “São necessárias alianças em favor da escolaridade, para a valorização da escola. É necessário saber que a escola é o melhor lugar do mundo”, diz. Para ele, os problemas da escola deveriam ficar na escola, e não virarem caso de polícia ou questão para psiquiatra.

 

O professor também é contra o discurso de que a família tem de ser mais acolhida na escola, pois, para ele, os problemas da escola são pedagógicos. Nesse ponto, sua opinião é diferente da de Caren. “São necessárias medidas que aproximem aluno de professor, a família da escola. Abrir de fim de semana é uma coisa boa? E como o pai é tratado durante a semana? Ele só é chamado quando o filho faz alguma coisa?”, questiona. As informações são do G1, da Globo.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Vestibular indígena tem questões de línguas nativas

 

Devido à greve dos funcionários dos Correios, o prazo para inscrições ao vestibular dos povos indígenas no Paraná foi prorrogado até o dia 28 de setembro. As inscrições encerrariam na última sexta-feira, dia 21.

Além das tradicionais disciplinas conhecidas por estudantes do ensino médio, as provas deste vestibular também terão questões de interpretação de textos nas línguas indígenas guarani e kaingang.

O processo seletivo é coordenado pela coordenado pela Cuia (Comissão Universidade para os Índios), e tem a participação das universidades estaduais do Paraná (veja lista abaixo) e da Ufpr (Universidade Federal do Paraná). O objetivo é ofertar seis vagas em cada curso das estaduais apenas para indígenas brasileiros. A Ufpr vai oferecer sete vagas por curso.

As fichas podem ser preenchidas nas secretarias das universidades participantes.

Avaliações

A data das provas permanece nos dias 16 e 17 de dezembro. Elas serão aplicadas na Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste), respeitando o rodízio estabelecido entre as instituições de ensino superior do Paraná. O resultado será divulgado no dia 21 de dezembro e os indíos aprovados escolherão o curso em que pretendem cursar.

O sistema de reserva de vagas para estudantes indígenas existe no Paraná desde 2002, um ano depois de criada a Lei Estadual 13.134, que garante o direito dos índios às cotas. O sistema também é adotado, de diferentes formas, nas universidades públicas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rio Grande do Sul, Amazonas, Bahia, Curitiba, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal.

Universidades estaduais participantes:

  • Uegp (Universidade Estadual de Ponta Grossa);
  • UEL (Universidade Estadual de Londrina);
  • UEM (Universidade Estadual de Maringá);
  • Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná);
  • Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste);
  • Unespar (Universidade Estadual do Paraná);
  • Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná).

    Consulte o endereço de cada universidade clicando
    aqui.
  • Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    SERRA  NÃO  DEIXA GREVE TER INÍCIO  NA CAPITAL

     

    Cerca de 2.000 dos 75 mil servidores da rede municipal de educação de São Paulo se aglomeraram, na tarde desta terça-feira (25), em frente à Secretaria Municipal de Gestão para ouvir uma resposta do governo às reivindicações da categoria. O frio de 10ºC e o desfecho das negociações fizeram com que a rua Libero Badaró (Centro), onde estavam reunidos, fosse esvaziada progressivamente. Esse foi o início da suspensão da greve que seria iniciada hoje.

    As principais reinvindicações dos servidores da rede pública não foram atendidas na reunião entre o Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal) e uma equipe da Secretaria Municipal de Gestão. Os professores querem o reajuste salarial real e a reposição de 43% das perdas salariais, além da incorporação do maior valor da gratificação de regência (R$ 450).

     

    A prefeitura acatou parte das propostas, e a categoria decretou fim à paralisação. Dentre os pedidos aceitos pelo governo estão:

  • retirada, da Câmara dos Deputados, do projeto de lei 582, que institui o plano de cargos, carreiras e salários do quadro de pessoal de nível superior;
  • conservação da atual hora-aula, que é de 45 minutos;
  • transformação do professor adjunto (substituto) em titular;
  • conservação do cargo de agente escolar (quadro de apoio);
  • direitos iguais entre PDI (professor de desenvolvimento infantil) e professor de educação infantil.

    Outros pontos discutidos entre as instituições serão analisados e apresentados em outras duas reuniões. A primeira será realizada no dia 2 de outubro. Nesta data, a Secretaria Municipal de Educação deve entregar ao Sindicato um projeto de negociação reestruturado.

    Até às 19h35 desta terça-feira, a Secretaria Municipal de Educação não havia se manifestado sobre a paralisação.

    Opiniões divididas
    As respostas do governo às reinvindicações dividiram as opiniões dos servidores. "A prefeitura quer acabar com as aulas no período noturno, alegando falta de demanda. Tenho alunos que freqüentam todas as noites", disse a professora Ana Maria dos Santos, 60, que não aprovou o acordo entre governo e sindicato.

    O professor Raimundo José da Costa, 48, disse que nenhuma conquista do sindicato é válida para os professores. "Eles aceitam tudo o que vem do alto escalão. A greve não vai continuar, mas eu não volto para a escola amanhã".

    Ao contrário de seus colegas, a professora Rosa Maria Oliveira Martins, 33, ficou feliz com a transformação dos cargos de adjunto em titular. "Antes não tínhamos essa opção. Agora vamos ter direitos iguais porque também somos educadores".

  • UOL

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    Sindicato-RJ: prêmio para alunos ameaça professores

     

    A coordenadora do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE), Maria Beatriz Lugão, teme que o decreto que oferece até R$ 4.560 aos estudantes da rede municipal do Rio de Janeiro que tiverem boas notas deixe os professores vulneráveis a pressões nas comunidades carentes.

     

    "É um absurdo esse incentivo de forma financeira. Os professores podem sofrer pressão e serem ameaçados a dar boas notas em locais carentes, onde as famílias são muito necessitadas", destacou Lugão.

    O sindicato pretende recorrer ao Ministério Público para impedir que a lei seja colocada em prática. Os professores também querem saber de onde sairá a verba para o pagamento dos alunos. De acordo com o decreto do prefeito César Maia, a premiação varia entre 2 e 12 salários mínimos, conforme o rendimento do aluno.

    A aplicação será feita nos três últimos anos do ensino fundamental, o que corresponde as antigas 6ª, 7ª e 8ª séries. Ao final de cada ano letivo, o estudante que tiver conceito MB (muito bom), terá direito a 2 salários mínimos. Caso o aluno consiga a maior avaliação em todas as disciplinas durante os três anos poderá retirar o prêmio máximo.

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    Após pressão, colégio particular tira câmera de banheiro de alunos

     

    Pressionado pelo conselho tutelar, um colégio particular de São Bernardo (ABC paulista) retirou ontem uma câmera que funcionava havia um ano dentro do banheiro masculino utilizado por estudantes. Tanto o órgão quanto educadores viram no equipamento uma invasão de privacidade.

    O fato foi no Colégio Anchieta, um dos mais tradicionais da região, com 43 anos de atividade, 3.000 alunos no ensino básico e 6.000 na faculdade.

    A câmera foi instalada em setembro do ano passado, em um dos 95 banheiros da escola --o único, segundo a escola, em que havia vandalismo.

    O conselho tutelar da cidade visitou a unidade ontem, após receber uma denúncia anônima. Ao confirmar a presença do equipamento, exigiu que ele fosse retirado, o que foi feito.

    O conselho tutelar afirmou que encaminhará o caso ao Ministério Público por entender que o colégio infringiu o Estatuto da Criança e do Adolescente no artigo 18 (que diz que é dever de garantir que jovens não sofram tratamento vexatório) e no artigo 232 (que prevê pena de seis meses a dois anos a quem submeter criança ou adolescente sob sua responsabilidade a constrangimento).

    "A câmara traz um grande constrangimento para os adolescentes. É um absurdo", disse o conselheiro Sergio Linhares Hora. "O que mais nos preocupou foi a possibilidade de uso indevido das imagens, principalmente hoje, com a internet."

    A câmara gravava imagens dos alunos no corredor do banheiro e na pia, mas não onde ficam os vasos sanitários.

    O equipamento, que estava fixado na parede, próximo ao teto, possuía o formato de uma pequena meia lua e era visível pelos alunos. Utilizavam o local desde os estudantes do ensino fundamental (com mínimo de seis anos) até os da faculdade.

    "Filmar alunos dentro do banheiro fere frontalmente os direitos individuais", afirmou o advogado Ariel de Castro, membro do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e dos Adolescentes).

    "O sujeito no banheiro tem de estar protegido do olhar dos outros. Uma câmera ali é, sem dúvida, invasão de privacidade", disse a psicóloga Angela Soligo, coordenadora do curso de pedagogia da Unicamp.

    Para a docente da Faculdade de Educação da USP Silvia Colello, a escola precisa trabalhar valores de respeito com os alunos "Com a câmera, os alunos param de depredar o banheiro, mas vão fazer vandalismo em outro lugar."

    Folha de S.Paulo

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    CIDADANIA: VOCÊ SABE PARA QUE

    SERVE O SENADO FEDERAL?

     

    Desde 2005, a presidência do Senado Federal  é ocupada por Renan Calheiros, cujo mandato - de dois anos - não foi cassado por pouco em 12 de setembro de 2007. Várias denúncias foram apresentadas contra o senador Calheiros e é provável que sua permanência na presidência da instituição seja bastante turbulenta - ao menos é o que prometem os senadores da oposição.

    Juntamente com a
    Câmara dos Deputados  o Senado Federal compõe o Congresso Nacional, que representa, em termos concretos, o poder Legislativo da República Federativa do Brasil. Como o nome dá a entender, trata-se de uma instância do Estado brasileiro responsável por legislar, isto é, produzir as
    leis do país.

    No entanto, você pode estar se perguntando por que o Congresso se divide nesses dois órgãos ou nessas duas casas (ou ainda câmaras), a Câmara e o Senado. Essa divisão tem características ligadas ao sistema federativo adotado pelo Brasil.

    O país é constituído por uma
    federação  de Estados. Estes têm como representantes no Congresso Nacional os senadores, enquanto a população do país é representada pelos deputados federais.

    Como a população se divide nas unidades da federação onde vive, os Estados mais populosos têm maior número de representantes na Câmara. Já o número de senadores por Estado é sempre idêntico, o que equilibra a representação em todo o país: no Senado, São Paulo e Alagoas, por exemplo, dispõem do mesmo número de representantes.

    Senado romano

    Mas o Congresso bicameral, isto é, dividido em duas câmaras, também tem suas origens na história universal. Desde as mais antigas organizações da humanidade em nações, há cerca de 5 mil anos, os governos eram compostos ou assistidos por conselhos de anciãos.

    No entanto, foi em
    Roma  durante o período republicano  , que se iniciou em cerca de 509 a.C.. O Senado foi o órgão de governo supremo do Estado romano até o advento do Império, com ascenção de Augusto, em 27 a.C.. Era presidido por um ou mais senadores que recebiam o título de cônsules, os quais detinham o poder Executivo da instituição.

    Câmara dos Lordes

    Depois da queda de Roma (476 d.C.), uma instituição semelhante à do Senado aparece na Inglaterra da independência dos Estados .Foi instituído em 1789 em função do federalismo que vigora naquela que foi a primeira República moderna. O Senado norte-americano surgiu para mediar a relação entre o governo central e o dos Estados da Federação.

    Assembléia Geral

    Com a independência do Brasil e nossa primeira Constituição, de 1824, o poder Legislativo se concretizou na Assembléia Geral, composta bicameralmente, de acordo com o modelo anglo-saxônico. Os senadores eram representantes das províncias brasileiras e se reuniram pela primeira vez em 1826.

    A idéia de um parlamento bicameral sobreviveu à proclamação da República e às seis
    Constituições  republicanas nacionais. Atualmente, função e as competências do Senado são estabelecidas pelo artigo 52 da Constituição de 1988. Basicamente, elas são 15 e vão desde processar e julgar o Presidente da República, o vice e os ministros, até a autorização de operações financeiras externas pelo governo federal ou estaduais.

    Presidência do Senado

    Assim como a Câmara dos Deputados, o Senado também tem um Regimento Interno que disciplina seu funcionamento. Seus trabalhos são organizados por uma Mesa diretora, composta por sete senadores: o presidente, dois vices e quatro secretários.

    A presidência da Casa se reveste de grande importância, pois o ocupante desse cargo desfruta de poderes especiais no tocante ao funcionamento do Senado, como convocar e presidir suas sessões, designar a ordem do dia e decidir questões de ordem. Além disso, o presidente do Senado pode convocar extraordinariamente o Congresso e promulgar leis em caráter excepcional, conforme, respectivamente, os artigos 57 e 66 da Constituição.

    Importância

    Na cena política brasileira, o Senado e o bicameralismo ajudam a equilibrar os poderes Legislativo e Executivo. Conforme explica o jornalista Melchiades Filho, da "Folha de S. Paulo", em artigo publicado no dia 19 de setembro de 2007:

    "[Sem o Senado] Teríamos um Congresso mais expedito e antenado, afirmam os advogados dessa idéia, alheios ao fato (ou conscientes dele) de que é justamente o "embaço" que torna hoje o Senado vital para a República. [...] O jogo entre os Poderes está a cada dia menos equilibrado. O Executivo tem tudo: o microfone, o Orçamento, os cargos e um arreio da atividade congressual (as medidas provisórias).

    "Ao Legislativo restam migalhas do debate e da ação política - e uma CPI aqui e ali. O bicameralismo, ainda que de modo torto, conspira contra esse acomodamento. Obriga o Planalto a suar, a ceder, a negociar em duas frentes. Contribui para que cada votação exija uma construção particular [...]"


    *Antonio Carlos Olivieri é escritor, jornalista e diretor da Página 3 Pedagogia & Comunicação. olivieri@pagina3ped.com

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem