BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




USP deve implantar avaliação seriada em 2009

 

A Universidade de São Paulo (USP) deve implantar, a partir de 2009, a avaliação seriada para o ingresso em seus cursos de graduação. Segundo a assessoria da instituição, a medida faz parte do Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp) e ainda está em fase de avaliação.

A idéia é que o candidato faça uma prova ao final de cada um dos três anos do ensino médio. As notas serão ponderadas e agregadas ao resultado final do vestibular. Com a iniciativa, a USP quer aumentar de 27,6% para 50% a proporção de alunos egressos da rede pública na universidade.

A USP também quer identificar e subsidiar as necessidades de possíveis ações junto às escolas públicas de ensino médio, como o fornecimento de referências para que elas realizem uma auto-avaliação a partir das notas do processo seriado.

Inclusp

Hoje o Inclusp tem como uma de suas principais ações o acréscimo de 3% às pontuações obtidas tanto na primeira quanto na primeira fases do vestibular para estudantes que cursaram integralmente o ensino médio na rede pública no Brasil.

Os candidatos nessa condição devem optar, no momento da inscrição, se desejam obter esse acréscimo. Esses candidatos também podem solicitar isenção da taxa de inscrição no vestibular, caso tenham renda familiar igual ou inferior a R$ 456 por pessoa.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Escola no interior de SP instala câmeras nas salas

 

Iniciativa foi da prefeitura de São José dos Campos.

Objetivo é coibir atos de furto e vandalismo.

 

 

Para tentar coibir atos de vandalismo e violência, uma escola de São José dos Campos, a 91 km de São Paulo, instalou câmeras de segurança em mais de vinte pontos do prédio, inclusive nas salas de aula. A medida tranqüilizou alguns pais, mas levantou a questão sobre a perda da liberdade no ambiente escolar. É a terceira escola da região que adota tal procedimento.

A partir de outubro, os 1.100 alunos da escola municipal, no bairro Campos de São José, vão ser monitorados o tempo todo por câmeras. Além das salas, o equipamento foi instalado em corredores e no pátio.

As câmeras custaram R$ 2,3 mil e ainda estão em fase de instalação. Mas a idéia de colocá-las na sala de aula levantou a questão sobre a possível perda da liberdade de alunos, professores e funcionários.

“Eles vão sentir maior responsabilidade sobre o que vão fazer dentro da escola e da sala de aula. Acho que isso não tira a liberdade”, disse a mãe de um aluno. Para Jefferson de Souza, representante do Sindicato dos Servidores Municipais, o monitoramento é uma atitude antipedagógica. “Isso inibe os estudantes e fere a liberdade do professor”, afirmou.


Segundo a direção da escola, a decisão foi tomada numa reunião do conselho de pais, alunos e professores. O objetivo é evitar o vandalismo e o furto, práticas comuns mesmo dentro da sala de aula. “É uma ação educativa, uma medida de segurança e não para monitorar o trabalho do professor”, disse Célia Ferreira, diretora da escola.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, três outras escolas receberam câmeras colocadas pelo município. Os equipamentos foram instalados em áreas comuns da escola e por enquanto funcionam em caráter experimental.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Sai parcela de agosto do salário-educação



A parcela de agosto do salário-educação foi liberada pelo Fnde (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e pode ser utilizada por Estados e municípios a partir desta quinta-feira (20).

O Fnde repassou R$ 362,4 milhões -- deste montante, R$ 170,8 milhões foram para os municípios e R$ 191,6 milhões para os governos estaduais. Até este mês de 2007, já foram distribuídos R$ 2,76 bi a Estados e municípios.

Os recursos do salário-educação devem ser investidos no ensino regular dos três níveis da educação básica (educação infantil, ensinos fundamental e médio), na educação especial e na de jovens e adultos.

Segundo o MEC, neste ano o Fundo também transferiu recursos para os seguintes programas:
  • Brasil Alfabetizado (R$ 6,9 mi);
  • Dinheiro Direto na Escola (R$ 8,1 mi);
  • Escola Aberta (R$ 330,2 mil);
  • Projeto de Melhoria da Escola (R$ 1,47 mi);
  • Projeto de Atendimento Educacional Especializado a Pessoas Portadoras de Deficiência (R$ 46,4 mil).

    Fnde

  • Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    Em lista de 34 países, Brasil é o que menos gasta em educação

     

    O Brasil é o que menos gasta com educação dos 34 países analisados por um estudo da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgado nesta terça-feira (18). O país apresenta o menor investimento por estudante (desde o ensino básico até a universidade), gastando em média cerca de R$ 2.488 por ano.

    Os 30 países da OCDE gastam, em média R$ 14.376, e no país que mais gasta em educação, Luxemburgo, este valor chega a R$ 25.705. No Chile, o único outro país sul-americano incluído no estudo, o gasto total é de R$ 5.470.

    O Brasil também é o país que apresenta o maior nível de diferença entre os gastos por estudante no ensino fundamental e secundário, em comparação com os estudantes universitários.

    Enquanto o país gasta R$ 2.213 em estudantes da pré-escola (à frente apenas da Turquia, que gasta R$ 2.139) e R$ 1.973 em estudantes do ensino fundamental e ensino médio (o mais baixo), os gastos com estudantes universitários chegam a R$ 17.226 por estudante, ao ano.

    Gastos com universitários


    Em média, os países da OCDE gastam apenas duas vezes mais na educação de estudantes universitários do que estudantes dos ensinos fundamental e médio. O gasto com os universitários no Brasil se compara ao de países como a Espanha e a Irlanda, e fica à frente da Itália, Nova Zelândia, México e Portugal, entre outros.

    O total do PIB investido em educação chega a 3,9% no país, segundo o relatório da OCDE, ficando à frente apenas da Rússia (3,6%) e da Grécia (3,4%). De acordo com a OCDE, a porcentagem do PIB gasta em educação demonstra a prioridade que este país dá à educação em relação a outros gastos de seu orçamento.

    Nos Estados Unidos, os gastos com Educação correspondem a 7,4% do PIB, a maior proporção, e na Dinamarca e Luxemburgo, ele corresponde a 7,2%. Segundo o documento, todos os países analisados aumentaram o investimento em educação com o aumento dos gastos chegando a mais de 40% em comparação a 1995.

    Mercado de trabalho


    Os resultados deste investimento ainda não atingiram seu potencial total e, segundo analistas ouvidos pelo estudo, ainda pode crescer 22%. O relatório também conclui que quanto mais difundida a educação universitária em um país, mais próspera a economia e melhor o mercado de trabalho para os recém-formados.

    O documento mostra ainda que as perspectivas de emprego para os profissionais menos qualificados não parecem ser prejudicadas pelo aumento do número de universitários e podem até melhorar.

    Em todos os países avaliados, os profissionais com curso universitário ganham mais e encontram emprego mais facilmente do que os que não chegam à universidade.

    BBC Brasil

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    Governo recua e desiste de pre

    miar alunos do Bolsa Família

     

    Pesquisa do governo mostra freqüência alta, mas baixo aproveitamento; secretária diz que professores poderiam ser pressionados a aprovar estudantes



    Incentivada por R$ 18 pagos por mês aos pais, a maior freqüência às aulas por pelo menos 10 milhões de alunos não garantiu bom aproveitamento escolar aos beneficiários do Bolsa Família, aponta pesquisa contratada pelo Ministério do Desenvolvimento Social. O dado, ainda preliminar, revela limites do principal programa social do governo Lula.
    Como primeira reação ao problema, ganhou força no governo proposta de premiar os alunos do Bolsa Família que concluíssem o ensino fundamental e o ensino médio. Mas a proposta foi para o limbo. "Pisamos no freio", informou Rosani Cunha, secretária do ministério responsável pela bolsa.
    O incentivo financeiro aos alunos aprovados -de R$ 400 para os que concluíssem a oitava série e de R$ 800 para os que terminassem o ensino médio- custaria R$ 300 milhões ao ano, de acordo com a última versão da proposta. Mas o obstáculo não foi financeiro, conta Rosani: "Havia o risco de os professores serem pressionados a aprovar os alunos".
    Em Samambaia, a 50 quilômetros do Plano Piloto, em Brasília, mais da metade dos alunos do Centro de Ensino 427 são beneficiários do Bolsa Família. Os demais não têm renda muito diferente do teto de acesso ao programa (R$ 120 mensais por pessoa). Os boletins comprovam a diferença no rendimento escolar: 73% dos alunos do Bolsa Família apresentaram rendimento insatisfatório, contra 14% de mau aproveitamento entre os demais alunos da oitava série.
    Foi a maior discrepância registrada na escola, com bons índices de aproveitamento nas avaliações oficiais.
    "É muito clara a questão dos alunos que vêm para a escola pressionados pela família, mas não estão comprometidos com os estudos", disse João Marcos Marçal, vice-diretor da escola.
    O Distrito Federal está na área do país em que a pesquisa contratada pelo Desenvolvimento Social detectou aproveitamento escolar inferior dos alunos do Bolsa Família, comparados a alunos pobres não atendidos pelo programa. Encontraram-se diferenças significativas de rendimento sobretudo entre os meninos e nas regiões Norte e Centro-Oeste.
    A pesquisa detectou impacto mais significativo do Bolsa Família no aumento da freqüência às aulas nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste e na queda da evasão escolar no Nordeste, Norte e Centro-Oeste -resultados mais esperados diante da exigência do programa, de freqüência a 85% das aulas. A pesquisa foi feita em 269 municípios de todos os Estados, exceto Acre, Roraima e Tocantins.
    A secretária de educação básica do MEC, Pilar Silva, sai em defesa do programa: "O fato de essas crianças estarem na escola já é um ganho, mas não basta: elas têm de aprender".

    Folha de SP

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    ENSINO MÉDIO : CRISE  AGUDA

     

    O ensino médio vive "uma crise aguda", afirmou o ministro da Educação, Fernando Haddad, nesta segunda-feira (17). A declaração foi feita na abertura do seminário Ensino Médio Diversificado, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

    Com base nos resultados do Saeb (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica), o ministro acrescentou: "O ensino médio custa a reagir".

    Haddad disse que há perspectivas de melhora na qualidade do ensino médio em dez ou 15 anos, mas não é possível esperar esse tempo para oferecer educação de qualidade aos jovens.

    O ministro admitiu que, em 2004, o governo acreditava que a qualidade do ensino médio melhoraria se fossem ampliadas as oportunidades de acesso à educação superior.

    "Imaginávamos que essas providências [ProUni e ampliação de vagas nas universidades federais] poderiam ajudar a robustecer o ensino médio, mas os indicadores, pelo menos até 2005, demonstram que essas iniciativas não têm impactado satisfatoriamente a questão da qualidade."

    Para melhorar o quadro, o ministro defendeu a ampliação das escolas técnicas profissionalizantes e a discussão de um novo currículo para o ensino médio. Ele afirmou que a separação entre formação geral e profissionalizante no ensino médio "está um pouco fora de moda". Para o ministro, a formação geral "é desinteressante" para uma boa parcela dos estudantes.

    "Não podemos dar uma formação geral de primeiro mundo para alguns jovens e uma formação técnica para um sistema produtivo obsoleto para outros Jovens. Temos que combinar virtuosamente essas duas dimensões", disse.

    Agência Brasil

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    Roteiro ajuda pais a escolherem

    melhor escola para os filhos

     

    Método pedagógico empregado e localização do colégio são itens que devem ser levados em conta na hora de optar

    Para evitar endividamento, gastos com educação dos filhos não devem superar 10% da renda familiar, dizem especialistas

     

    A escola é o primeiro espaço extrafamiliar que a maioria das crianças enfrenta. É, por isso, motivo de angústia para os pais.
    Para ajudar nessa hora difícil, a Folha consultou 38 especialistas e elaborou um roteiro para oferecer instrumentos para uma escolha adequada.
    Em primeiro lugar, é preciso conhecer os métodos pedagógicos mais importantes. A seguir, fazer um levantamento de escolas que apliquem esse método (ou algo próximo). Depois de contatar os colégios pré-selecionados e perguntar sobre mensalidades e outras taxas cobradas, calcular o quanto é possível gastar com a educação das crianças.
    O último passo é visitar as que passaram pelas duas etapas anteriores. Dele deve sair a escola mais adequada para o seu filho e a sua família.



    Planejamento


    Quanto gastar com a educação do seu filho? Especialistas ouvidos pela Folha afirmam: não mais do que 10% da renda mensal por criança.
    Segundo José Nicolau Pompeo, professor de economia da PUC-SP, mais do que isso pode levar a família ao descontrole financeiro. O problema, de acordo com ele, é que os pais geralmente não fazem um planejamento orçamentário. Quando os pais percebem o rombo, afirma o professor, começam a se endividar.
    "Os pais têm de lembrar que é caro estudar", diz o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Roy Martelanc.
    Especialistas dizem que o que mais encarece o fator "educação" é o transporte. Em um ano, combustível e manutenção do carro podem custar o mesmo que uma mensalidade.
    Na hora de fazer a matrícula, os pais devem se lembrar de que, além das mensalidades, existem outros gastos. Material, uniformes, gasolina e até taxas para passeios podem deixar a conta muito mais salgada.
    Estudar em um colégio mais barato longe de casa pode, no final, sair mais caro -ainda mais se a idade da criança não permitir que ela vá de transporte coletivo para a escola.
    Mas, se o local onde ela estuda for próximo do trabalho dos pais, por exemplo, o custo poderá ser atenuado, dizem os especialistas -já que o deslocamento casa-trabalho precisará ser feito de qualquer jeito.
    "A pergunta é: quanto vale o seu tempo?", afirma o professor Martelanc. "Se o pai ou a mãe aproveitam esse tempo para conviver mais com o filho, pode até valer a pena", diz.
    Segundo Martelanc, os pais precisam levar em conta também que existem outros fatores além dos econômicos. Mas Pompeo alerta: o ideal, mesmo, é estudar do lado de casa -e, se puder ir a pé até lá, melhor.

    Infra-estrutura


    Quanto à infra-estrutura oferecida pelas escolas, os pais precisam tomar cuidado na avaliação.
    Especialistas afirmam que muito do que os colégios colocam como vantagens -por exemplo, câmeras de vídeo superpotentes, computadores nas salas de aula- podem servir somente para encarecer o preço da mensalidade, sem efeitos práticos.
    Segundo o consultor em segurança José Vicente da Silva, mais do que um sistema de proteção por escola -como equipe de seguranças, monitoramento via satélite ou câmeras espalhadas pelo colégio- é desnecessário e só ajuda a aumentar o preço. "As escolas usam isso como uma vantagem competitiva", afirma Silva.
    De acordo com o consultor, colégios são ambientes menos perigosos por serem regiões onde há bastante movimento. "É uma ilusão pagar para ter mais segurança, ainda mais em escolas. Mas as classes média e média-alta têm uma sensação maior de vulnerabilidade", diz.
    Os pais também devem desconfiar de escolas em que a informática é utilizada como um grande diferencial competitivo. "O fato de haver um aparato tecnológico extraordinário e gigantesco não implica necessariamente qualidade. Pode servir só para aumentar a conta de luz", afirma Gilberto Lacerda, professor da Faculdade de Educação da UnB e especialista no uso pedagógico da informática na sala de aula.


    LAURA CAPRIGLIONE, JOHANNA NUBLAT, RAFAEL TARGINO, TOMÁS CHIAVERINI e ALESSANDRA BALLES

    Folha de SP

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem




    REFORMA DA LÍNGUA PORTUGUESA: DISCUSSÃO

     

    A Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa - que desde a década de 1990 tenta, sem sucesso, unificar o padrão de escrita do idioma entre os países lusófonos - foi tema de um painel, hoje (dia 15), na XIII Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Participaram da discussão o escritor e membro da Academia Brasileira de Letras Arnaldo Niskier, o professor, colunista e apresentador Pasquale Cipro Neto e Sérgio Nogueira, professor e consultor sobre o idioma para as Organizações Globo.

    Provocado pelo calor da urgência que a reforma parecia imprimir à sociedade - já que a mídia nas últimas semanas trouxe o tema à pauta - o debate conseguiu reunir 200 pessoas, grande parte sinalizando preocupação com as mudanças que o acordo poderia trazer ao uso do idioma. Do lado de fora, ficaram outras tantas que não conseguiram retirar em tempo a senha que dava passe ao evento.

    Para Arnaldo Niskier, a resistência por parte de Portugal na ratificação do acordo se dá principalmente porque o Brasil teria tomado a liderança, "invertendo o processo colonizador", lembrou. Desde 1984, quando ainda vivia, o filólogo (e colega de Niskier na ABL) Antônio Houaiss era um missionário da causa. Segundo Niskier, provoca estranheza que esse tema, que resiste há tantos anos, tenha surgido nesse último mês com tanta visibilidade. "Nada se fez", lembra o professor, "até que de repente começou a se anunciar que o acordo começaria no ano que vem".

    Segundo informações já publicadas pela imprensa, o acordo foi temporariamente suspenso, dada a resistência de Portugal na adesão. O prazo, nesse sentido, fica estendido para além de 2008. Para Pasquale Cipro Neto, é muito difícil que se normatize o uso do idioma na base da caneta. "Toda vez que se tenta legislar sobre a língua, o resultado é meio complicado", afirmou, lembrando de iniciativa recente do deputado federal Aldo Rebelo (PC do B/SP), que apresentou projeto de lei punindo quem utilizasse estrangeirismos.

    Portal da imprensa

    Editado por NilceuProf

    Haloscan

    Zip Net


    Enviar esta mensagem