BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




Professoras passam mal após greve de fome no Ceará

 

Elas se alimentam de água-de-coco desde quarta-feira (27).

Docentes foram levadas ao hospital e tomaram soro.
 

Em greve de fome, duas professoras da rede municipal de Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza, foram parar no hospital nesta sexta-feira (29). Elas fazem parte de um grupo de sete professores que passaram a se alimentar apenas de água-de-coco desde quarta-feira (27). 

 

Os professores querem um reajuste salarial entre 16 a 23%, mas o prefeito só ofereceu 3%. Dos sete grevistas, dois desistiram 24 horas depois de iniciada a greve de fome.

 

As professoras Meire Silva e Joana D'arc passaram mal de madrugada e foram levadas ao hospital da cidade. Elas tomaram soro, mas se recusaram a comer qualquer alimento sólido, insistindo em manter a greve. Horas depois, as duas foram liberadas pelos médicos e voltaram a se juntar aos outros três grevistas que estão acampados na ante-sala do secretário de Educação, Marcelo Farias.

Pela manhã, houve um tumulto envolvendo um fotógrafo que estava a serviço da prefeitura e alguns manifestantes. Dois assessores da prefeitura foram feridos e registraram um Boletim de Ocorrência (BO).

 

De acordo com assessoria de imprensa da Prefeitura de Maracanaú, o município está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e por isso não poderia dar aumento maior que 3% aos professores.

 

Uma fonte que não quis se identificar informou, no entanto, que a Prefeitura teria condições de reajustar em até 17%, mas preferiu investir em melhorias na infra-estrutura das escolas. Os alunos da rede municipal estão sem aula há um mês. A Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa acompanha o desfecho do caso.

Agência Estado

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




REITORIA  DA UNICAMP PUNE OS QUE INVADIRAM

 

Veja a íntegra da nota



A Unicamp retoma nesta sexta-feira seus serviços de emissão de diplomas, de homologação de teses e dissertações e de fornecimento de documentos acadêmicos a alunos de graduação e de pós-graduação, após desocupação das dependências de sua DAC (Diretoria Acadêmica) por um grupo de alunos que havia promovido sua invasão no último dia 18.

A desocupação se deu por volta das 14 horas de hoje, por decisão dos próprios alunos, que pela manhã enviaram carta à Reitoria comunicando sua intenção de abandonar as dependências da DAC, órgão ligado à Pró-Reitoria de Graduação e que atende a mais de 17 mil estudantes de 57 cursos de graduação e a aproximadamente 16 mil estudantes de 127 programas de pós-graduação.

Logo em seguida à desocupação, uma comissão da Reitoria recebeu uma comissão integrada por alunos e professores. Nessa reunião, a Reitoria informou que o cronograma das obras da Moradia Estudantil - uma das reivindicações do movimento - segue sendo executado conforme acordo firmado em 30 de março último com os estudantes.

Ao mesmo tempo - tema que também foi tratado durante a reunião - prosseguem os trabalhos da comissão encarregada de apurar responsabilidades no episódio da invasão das dependências da DAC.

José Tadeu Jorge
Reitor

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Justiça de SP proíbe universidades de cobrar por diploma


Decisão do juiz Roberto Lemos dos Santos Filho, da 1ª Vara Federal de Bauru, no interior de São Paulo, proíbe 17 instituições do ensino universitário da região central do Estado de cobrar a taxa de diploma -- de R$ 100 a R$ 160 -- dos seus formandos. A sentença ainda obriga a devolução do valor cobrado aos ex-alunos que se formaram nos cinco anos anteriores ao início da ação.

A desoneração foi pedida em agosto do ano passado por meio de ação civil pública movida pelo procurador Pedro Antonio de Oliveira Machado, do Ministério Público Federal. O argumento básico é que, tendo pago as anuidades durante o curso, os estudantes concluintes têm direito ao diploma sem qualquer despesa adicional.

Em 2005, Machado já havia conseguido liminar que suspendia a cobrança aos alunos da Instituição Toledo de Ensino, de Bauru. A decisão do mérito ocorreu em julho do ano passado, antes da entrada do pedido agora julgado, que beneficia os alunos das outras escolas particulares de nível universitário das cidades de Avaré, Bauru, Botucatu, Lençóis Paulista, Lins e São Manuel.

A sentença determina a União como responsável pela fiscalização quanto à cobrança do diploma, alertando que o não cumprimento da ordem judicial pode caracterizar crime.

Segundo o coordenador do Procon de Bauru, Amaury Roma, os alunos que tiverem como comprovar o pagamento da taxa agora declarada indevida têm o direito de pedir o seu ressarcimento em dobro, como estabelece o Código de Defesa do Consumidor. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

 uol

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Apeoesp: pai de aluno agride professor em 25% dos casos

 

A violência contra o professor já faz parte da rotina das escolas públicas. O novo dado que aparece neste quadro é que os pais dos alunos decidiram subir 'no ringue'. Segundo pesquisa da Apeoesp (Sindicato dos Professores de São Paulo), em 25% dos casos de agressões verbais e físicas contra os educadores da rede estadual, são os parentes dos estudantes os autores das ameaças, tapas e xingamentos.

Em dezembro, durante um congresso de educação, o sindicato pediu a 684 professores que respondessem a um questionário sobre violência e mais de uma alternativa poderia ser assinalada. Resultado: 87% afirmaram que presenciaram algum ato violento dentro da escola. A maioria das agressões, 93%, partiu dos alunos, mas a porcentagem de 25% referente aos pais chamou a atenção para o problema.

As conseqüências de relações tumultuadas entre pais e mestres são muitas, uma delas identificada na pesquisa do sindicato: 29% dos professores agredidos afirmaram que estão tão inseguros com o ambiente escolar hostil que pensam em deixar de lecionar.

"O principal impacto da violência do pai contra o professor é que a criança ou o adolescente acaba como um multiplicador das agressões contra o educador", afirmou Wolmer Áureo Pianca, diretor de escola pública e do Sindicato dos Especialistas em Educação.

Para o presidente da Apeoesp, Carlos Ramiro, a violência é reflexo da imagem deteriorada que a profissão adquiriu. "É uma categoria estigmatizada pelo mau resultado do ensino. Tanto é que, quando a educação pública não estava em crise, a violência não era tão freqüente." As informações são do Jornal da Tarde.

uol

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Só 62 escolas têm nível de país desenvolvido

 

Em apenas 62 escolas públicas do país, de 18.653 avaliadas (0,33%), os alunos de 5ª a 8ª séries têm uma educação do mesmo nível da média dos países desenvolvidos. Esses colégios são os únicos que alcançaram ou superaram a nota 5,5 no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), valor considerado pelo Ministério da Educação como padrão dos países desenvolvidos --e a meta a ser alcançada por essas séries em 2022.

O Ideb é calculado a partir dos resultados da Prova Brasil e do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), ambos aplicados pelo ministério nas redes de todo o país, e das taxas de aprovação (que consideram a repetência).

Os números dos primeiros anos do ensino fundamental --1ª a 4ª série-- não são melhores. Apenas 166 escolas, de um total de 27.951 --o equivalente a 0,59%--, obtiveram nota 6, considerada pelo ministério o parâmetro. A maior parte delas está localizada no Sudeste: 70 em Minas Gerais, 46 em São Paulo e 17 no Paraná.

As duas piores, com nota 0,1 no Ideb, são a escola municipal Esfinge, que fica em Lauro de Freitas, na Bahia, e a Monteiro Lobato, na cidade de Reserva do Iguaçu, no Paraná.

A melhor é a Guiomar Gonçalves Neves, na cidade de Trajano de Moraes, no Rio de Janeiro, Estado que tem também a segunda colocada, em São Sebastião do Alto.

Já a escola paulista mais bem colocada no ranking aparece em terceiro lugar --é a escola municipal Profª Helena Borsetti, na cidade de Matão (305 km de São Paulo).

O resultado das escolas da rede estadual de São Paulo não foi divulgado porque apenas uma amostra dos estudantes participou do Saeb.

*Resultado "relativo"*

Para o presidente do Inep (instituto de pesquisas ligado ao MEC), Reynaldo Fernandes, falar em resultado bom ou ruim é algo "relativo". Ele afirmou, contudo, que o fato de a maior parte das escolas estar abaixo dos índices dos países desenvolvidos não é surpreendente, uma vez que o Pisa, avaliação internacional, já mostrava em 2003 o Brasil nas piores colocações dentre 41 países.

Fernandes preferiu enfatizar as metas que vêm com a divulgação dos resultados por escola --para cada uma, há resultados de dois em dois anos, até 2021. As escolas, porém, não são obrigadas a persegui-las, uma vez que estão sob a guarda dos Estados e municípios.

No total, foram avaliadas 55.967 escolas, mas nem todas receberam notas no Ideb.

Plano de Desenvolvimento

Ontem, em solenidade no Palácio do Planalto, o ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou o Plano de Desenvolvimento da Escola, que irá oferecer apoio técnico e financeiro às 5.000 escolas com pior nota no Ideb. Os recursos previstos para o projeto, que faz integra o PDE (Plano de Desenvolvimento da Educação), são de R$ 30 milhões.

Folha de SP

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




Rejeitar raízes negras virou 'instituição' no Brasil, diz jornal

 

 

 

 

De tão comum, a prática de negar as origens negras virou uma "instituição" no Brasil, observa uma matéria publicada no jornal norte-americano "The Miami Herald" deste domingo.

A extensa reportagem, que merece um quarto de página na capa do jornal americano, analisa a relação dos brasileiros com o conceito de raça e, em especial, com suas raízes africanas.

Em primeira pessoa, o enviado especial ao Rio de Janeiro, Leonard Pitts Jr., afroamericano, relata o que chamou de "sensação de cair em uma casa dos espelhos", na qual tudo é "igualzinho" aos Estados Unidos, "porém completamente diferente".

"No Brasil, uma nação de indígenas e descendentes de escravos negros, colonizadores europeus e imigrantes, um homem de pele escura que poderia ser automaticamente chamado de negro em qualquer outro lugar tem um vocabulário que lhe permite apagar sua origem africana. Ele pode se dizer moreno, mestiço ou pardo. Qualquer coisa, menos afrodescendente ou negro", atesta o repórter.

"Nisto, ele será como seus colegas nos Estados Unidos, onde negros também têm um extenso vocabulário para descrever variações de tom de pele. Mas nos Estados Unidos, não importa qual seja o seu tom de pele, sua raça não está em questão. Malcolm X era negro. Smokey Robinson é negro. T.D. Jakes é negro. Don Cheadle é negro."

O repórter toma emprestada a expressão utilizada por uma entrevistada para afirmar: "Se os Estados Unidos são um país onde negros de pele mais clara às vezes tentam fingir que são brancos, bem, aqui neste país 'fingir é uma instituição nacional'."

O artigo encerra uma série de reportagens especiais que o veio publicando, ao longo da semana, sobre a vida de afrodescendentes na América Latina.

O repórter notou que o Brasil vive cotidianamente discussões sobre ações afirmativas oficiais, como a criação de cotas para negros em entidades públicas, às quais se opõem muitos intelectuais, como uma antropóloga ouvida pelo jornalista.

"Respeito os princípios de seus argumentos - raça não existe e portanto não deveria ser reconhecida em lei. Mas isto levanta uma questão: como pode haver racismo sem raça?"

A matéria escuta personalidades ligadas ao ativismo por direitos dos negros. Ao final, Pitts aproveita uma conversa com a jornalista Miriam Leitão para traçar paralelos com seu próprio trabalho.

"Enquanto ela relata as respostas que recebe (de seus leitores a cada artigo que trata do tema), vejo-me rindo de identificação. Um leitor, por exemplo, acusou-a de 'criar um problema ao falar dele'."
"'Por sua causa', disse o leitor, 'um dia, seremos racistas'."
"Recebi exatamente o mesmo email. Muitas vezes", diz Pitts.

"É engraçado, só Deus sabe, mas também é enlouquecedor. Você se pergunta como pessoas inteligentes podem retorcer tanto a lógica. Como pessoas sabidas podem dizer coisas tão estúpidas."

Para o jornalista, "você começa a entender que a negação é mais forte que a lógica. América, a terra dos livres? Nem sempre, não tanto. Brasil, a terra onde raça não importa?"

"Ela (Miriam) é uma colunista de jornal que escreve sobre raça em um país a 6,5 mil km de distância. Mas ela também é um reflexo do espelho deformante."

 

UOL

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




TUDO É   FESTA  : AS  JUNINAS,JULINAS, AGOSTINAS

 

 

 

Tudo é festa. É assim que se traduz o mês de junho no Rio Grande do Norte e em todo o Nordeste do Brasil. Uma casadinha de forró e fé toma conta das festas juninas.Três santos são efusiva e intensamente comemorados em junho, em todo o Brasil, desde o período colonial: Santo Antônio, São João e São Pedro. No Nordeste brasileiro, principalmente, estes santos são reverenciados, e pode-se dizer que a importância destas festas para as populações, principalmente nordestinas, ultrapassa a do Natal, principal festa cristã, e que elas são, historicamente, o evento festivo mais importante desta região, tanto cultural como politicamente.

Acredita-se que estas festas têm origens no século XII, na região da França, com a celebração dos solstícios de verão (dia mais longo do ano, 22 ou 23 de junho), vésperas do início das colheitas. No hemisfério sul, na mesma época, acontece o solstício de inverno (noite mais longa do ano). Como aconteceu com outras festas de origem pagã, estas também foram adquirindo um sentido religioso introduzido pelo cristianismo, e trazido pela Igreja Católica ao Novo Mundo. A comemoração das festas juninas é certamente herança portuguesa no Brasil, acrescida ainda dos costumes franceses que a elas se mesclaram na Europa.

O ciclo das festas juninas gira em torno de três datas principais: 13 de junho, festa de Santo Antônio; 24 de junho, São João; e 29 de junho, São Pedro. Durante este período, o Estado fica praticamente tomado por festas em comemoração aos santos juninos, com fogueiras, fogos de artifícios e comidas típicas da época – o queijo de coalho e milho assados, a canjica, a pamonha, o brigadeiro, o pé de moleque, o churrasquinho, a carne de sol, entre outros – embalados pelo xaxado, forró pé-de-serra, choro e marchinha. A cidade de Mossoró, se dúvida, possui a maior festa junina do Estado, já considerada uma das maiores do país, reunindo uma série de atividades e celebrações em um grande evento intitulado "Mossoró Cidade Junina". O município de Assu também celebra um São João bastante concorrido, tendo em vista que a época coincide com os festejos de seu santo padroeiro, São João Batista um dos três santos juninos. Também não se pode esquecer de citar os famosos concursos de quadrilhas juninas estilizadas e matutas, com destaque para os que ocorrem em Parnamirim e Currais Novos, que emprestam um colorido especial à grande festa.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem