BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




.

MEC  lança sistema de informações sobre

gastos do país em educação

 

 

Em nome da transparência dos recursos públicos

em educação, o Ministério da Educação lança na

quinta-feira, 8, o Sistema de Informações sobre

Orçamentos Públicos em Educação (Siope). Total

mente informatizado e on-line, o sistema estará

disponível no sítio do Instituto Nacional de Estu

dos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

(Inep/MEC).

O objetivo do Siope é mostrar à sociedade o quan

to as esferas do governo – União, estados, Distri

to Federal e municípios – investem efetivamente

em educação. O sistema conterá os dados conso

lidados das receitas totais e das despesas realiza

das por todas as esferas do governo, além de mos

trar os recursos vinculados à educação organiza

dos segundo o nível de ensino e natureza. Desse

modo, o Siope será um importante instrumento de

garantia da transparência e de acompanhamento

e controle social dos gastos realizados na manu

tenção e no desenvolvimento do ensino.

O sistema também será importante para os gesto

res dos sistemas estaduais e municipais de ensino

que, verificando os dados disponíveis, poderão

planejar ações. O Siope será alimentado pelos agen

tes públicos responsáveis pelo fornecimento de da

dos em cada esfera do governo, transmitindo os da

dos via internet.

Para obter mais informações e orientações sobre o

Siope, entre em contato com a equipe responsável

por sua implantação, pelo telefone (61) 2104-9702

ou pelo endereço eletrônico siope@inep.gov.br.

(Assessoria de Comunicação Social do MEC)

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO RECEBERÃO,

EM 2007,  LIVROS DE BIOLOGIA

 

 

O ministro da Educação, Fernando Haddad, assinou

nesta quinta-feira, dia 8, o edital de abertura do pre

gão eletrônico para contratação da empresa que vai

imprimir o guia de escolha do livro didático de biolo

gia do ensino médio. Os guias serão enviados às es

colas a serem beneficiadas, mas os professores, res

ponsáveis pela escolha da obra, já podem ter aces

so ao guia na página eletrônica do Fundo Nacional de

Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC). A esco

lha, que começa dia 17 de julho, poderá ser feita pe

la Internet ou por intermédio dos formulários que

acompanham os guias impressos. Pela primeira vez,

obras da disciplina serão repassadas aos estudantes.

Até o fim do ano, devem ser adquiridos 8,2 milhões

de exemplares do livro para atender 7,5 milhões de

alunos matriculados em 14.727 escolas nas três séri

es do ensino médio — o número maior de exempla

res em relação ao de alunos deve-se à reserva téc

nica. A distribuição será feita no período letivo de

2007.

Criado em 2004, o Programa Nacional do Livro Didá

tico para o Ensino Médio (Pnlem) ampliou o alcance

das obras, antes distribuídas apenas entre os estu

dantes do ensino fundamental. Hoje, alunos do ensi

no médio público já têm acesso gratuito a exempla

res didáticos de português e de matemática.

(Assessoria de Comunicação Social do FNDE)


 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

 

Cargos são criados para atender à  expansão

da rede federal de educação tecnológica

 

 
     

 

O governo federal está criando 2.820 cargos para pro

fessores e 3.430 cargos para servidores técnico-admi

nistrativos, a serem preenchidos por concurso público.

A medida, anunciada nesta quinta-feira, 8, pelo presi

dente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da Edu

cação, Fernando Haddad, atende ao programa de ex

pansão da rede federal de educação profissional e

tecnológica implementada pelo Palácio do Planalto.

Do total de vagas, 1.500 serão preenchidas já este

ano.

Os cargos estão previstos na medida provisória anun

ciada pelo presidente para contemplar as 33 unida

des descentralizadas em construção no programa de

expansão, para completar o quadro de pessoal de

unidades já existentes e para atender aos centros fe

derais de educação tecnológica (Cefets) originados

da transformação de escolas agrotécnicas.

A opção, sempre que possível, pela construção de

unidades descentralizadas tem o interesse de apro

veitar as estruturas administrativas já existentes, re

duzindo-se os gastos com cargos de direção e com

as funções gratificadas. Para o correto funcionamen

to das unidades, entretanto, é necessária a manu

tenção de um suporte administrativo mínimo – por

isso a criação, junto com as vagas efetivas, de

2.343 cargos de direção e funções gratificadas. O

quadro de pessoal criado também vai atender às

18 escolas comunitárias que, por meio do Progra

ma de Expansão da Educação Profissional (Proep),

estão sendo absorvidas pela União por apresenta

rem dificuldades em manter a oferta de cursos pro

fissionais gratuitos às respectivas localidades.

A esses cargos se somam outros 450 para profes

sores dos ensinos fundamental e médio e 585 para

servidores técnico-administrativos, além de 90 car

gos de direção e de 135 funções gratificadas, cria

dos para atender às cinco escolas técnicas e quatro

agrotécnicas que estão sendo construídas – e que

são objeto de projeto de lei específico, também

anunciado nesta quinta-feira. O projeto também

determina que os cargos efetivos e de confiança se

jam implementados gradativamente, à medida que

as instalações forem sendo concluídas e as escolas

entrem em funcionamento. (Assessoria de Comuni

cação Social do MEC)

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

EXPANSÃO DO  ENSINO SUPERIOR CRIA MAIS

3.300 CARGOS

 

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro

Fernando Haddad, da Educação, anunciaram nes

ta quinta-feira, 8, projeto de lei que determina a

criação de 3,3 mil cargos nas universidades federais,

dos quais 2,3 mil para professores e 1.075 para ser

vidores técnico-administrativos – além de 120 car

gos de direção e de 420 funções gratificadas.

Os cargos estão sendo criados para atender à expan

são da rede federal de ensino superior. São quatro

novas universidades – entre elas a Unipampa, cuja

criação por meio de projeto de lei também será anun

ciada nesta quinta-feira; a transformação de seis fa

culdades federais em universidades – grupo no qual

está incluída a Fundação Universidade Federal de Ci

ências da Saúde de Porto Alegre (FUFCSPA), cuja cri

ação a partir da Fundação Faculdade Federal de Ciên

cias Médicas de Porto Alegre (FFFCMPA) será anunci

ada no mesmo dia; e a construção ou ampliação de

40 campi. As obras beneficiam 68 municípios em 21 es

tados. (Assessoria de Comunicação Social do MEC).

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

PROJETOS  E  MAIS RECURSOS PARA  A EDUCAÇÃO

 

Entre as medidas anunciadas nesta quinta-feira, 8,

pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo mi

nistro da Educação, Fernando Haddad, estão dois

projetos de lei que garantem mais recursos para a

educação. Um dos projetos amplia os investimen

tos no Fundo de Financiamento ao Estudante do En

sino Superior (Fies), por meio de crédito suplemen

tar. O outro garante investimentos no ensino médio

em apoio aos estados.

O projeto de lei do Programa de Equalização das

Oportunidades de Acesso à Educação Básica

(Prodeb), o Fundebinho, determina o repasse de R$

400 milhões aos estados em 2006, prevendo, para

isso, o remanejo de recursos. Este será o terceiro

ano consecutivo que o governo federal garante re

cursos emergenciais para as redes estaduais. Soma

dos os três anos, os investimentos já alcançam R$ 1

bilhão. A medida atende às redes públicas enquanto

não é aprovada no Congresso a proposta de emen

da constitucional que cria o Fundo de Manutenção e

Desenvolvimento da Educação Básica e de Valoriza

ção dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O projeto de lei que concede crédito suplementar ao

Fies, por outro lado, estabelece um investimento de

R$ 91 milhões na concessão do financiamento estu

dantil. A ação vai ampliar o atendimento do fundo pa

ra mais 100 mil universitários brasileiros, isso já a par

tir do mês de agosto. O Fies também contempla os es

tudantes que conquistaram uma bolsa de estudos

parcial, no valor de 50%, por intermédio do Programa

Universidade para Todos (ProUni). Com os dois bene

fícios, estes alunos podem completar o ensino superi

or privado pagando apenas 25% da mensalidade.

(Assessoria de Comunicação do MEC)

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

UNIVERSIDDE ABERTA PAR QUALIFICAR

EDUCAÇÃO BÁSICA

 

 

A Universidade Aberta do Brasil, instituída por decre

to assinado nesta quinta-feira, 8, pelo presidente

Luiz Inácio Lula da Silva, tem como objetivo expan

dir a oferta de cursos e programas de educação,

principalmente no interior do país. Por meio da edu

cação a distância, com um custo bem inferior ao da

educação tradicional, pretende apoiar as ações de

municípios e estados na qualificação dos docentes e

dos estudantes brasileiros, utilizando, para isso, a

estrutura das universidades federais.

Prioritariamente, a Universidade Aberta vai oferecer

cursos de licenciatura e formação inicial e continua

da para professores da educação básica. Mas tam

bém serão ofertados cursos superiores nas diferen

tes áreas do conhecimento e para a capacitação de

dirigentes, gestores e trabalhadores em educação

básica dos estados, do Distrito Federal e dos muni

cípios.

Com o novo sistema, o governo federal espera redu

zir as desigualdades de oferta de ensino superior en

tre as diferentes regiões do país, estabelecer um am

plo sistema nacional de educação superior a distância

e fomentar a pesquisa em metodologias inovadoras

de ensino superior apoiadas em tecnologias de infor

mação e comunicação.

Frentes de atuação – Idealizada como uma alternati

va ágil, desburocratizada e eficiente, a Universidade

Aberta não caracteriza a criação de uma instituição

federal de ensino superior. Pelo contrário, ao usar a

estrutura da rede federal e articular iniciativas já im

plementadas pelas universidades públicas, ela amplia

o alcance dos programas existentes.

O sistema vai funcionar com duas frentes de atuação:

 de um lado, os cursos serão oferecidos e ministrados

pelas próprias instituições federais de ensino superior;

de outro lado, eles terão pólos de apoio presencial ins

talados e mantidos por municípios e estados interessa

dos em disponibilizar ensino superior. Assim, o aluno,

ao mesmo tempo em que conta com a certeza da qual

idade do curso oferecido pelas instituições federais, re

cebe atendimento presencial em um dos pólos de apoio

instalados e mantidos pelos entes federativos envolvi

dos. Os pólos devem manter uma infra-estrutura adeq

uada, com laboratórios de informática, bibliotecas e sa

las de aula. Em 2007, já estarão em funcionamento 300

desses pólos, um em cada município.

Projeto-piloto – Um projeto-piloto da Universidade Aber

ta está sendo colocado em prática este ano, com supor

te especial das empresas estatais, especialmente do

Banco do Brasil. Com a iniciativa, são oferecidas cerca

de dez mil vagas no curso de administração em 18 esta

dos e no Distrito Federal. As despesas de implantação

do programa integram a dotação orçamentária já exis

tente no Ministério da Educação e nas instituições fede

rais de ensino superior.

A educação a distância, prevista na Lei de Diretrizes e

Bases da Educação Nacional, é citada no Plano Nacio

nal de Educação como alternativa eficaz para ampliar

a oferta do ensino superior, reduzindo as desigualda

des regionais. Em diversos países do mundo, como

Reino Unido, Espanha, China e Turquia, essa modali

dade de ensino é adotada com o mesmo fim. No Bra

sil, seu uso favorecerá o desenvolvimento das áreas

de interior e distantes dos centros urbanos, permitin

do que os alunos possam freqüentar uma graduação,

mesmo que não residam próximo à cidade onde está

localizada a universidade ofertante. (Assessoria de

Comunicação Social do MEC).

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

INSCRIÇÃO PARA O    PROUNI    VÁI ATÉ DIA

16-06,  SEXTA-FEIRA  PRÓXIMA

 

 

O Ministério da Educação alerta que a inscrição para

concorrer a bolsas de estudos do Programa Univer

sidade para Todos (ProUni) é feita somente na

página eletrônica do MEC. Os processos de inscrição,

seleção e divulgação dos ganhadores são feitos pela

internet. “O MEC não utiliza intermediários e ninguém

está autorizado a oferecer qualquer tipo de vantagem

aos que concorrem às bolsas”, diz o diretor de Moder

nização e Programas da Educação Superior, Celso Ri

beiro.

O alerta aos estudantes ocorre a propósito de denún

cias de que falsos representantes do MEC visitaram

candidatos ao ProUni oferecendo vantagens, tipo pas

se-livre, para garantir a bolsa, mediante cobrança de

taxas. O golpe ocorreu no Rio Grande do Sul, mas po

de se repetir em outros estados. Celso Ribeiro reco

menda que, se ocorrerem fatos dessa natureza, eles

devem ser denunciados.

Inscrição – O ProUni está com inscrição aberta até o

dia 16. Neste semestre são ofertadas 47.059 bolsas

em 843 instituições privadas de ensino superior. São

35.162 bolsas integrais e 11.897 bolsas parciais de

50% da mensalidade. Podem concorrer alunos que

tenham feito todo o ensino médio em escola pública

ou em escola privada na condição de bolsista inte

gral. Até esta manhã, o programa recebeu 120 mil

inscrições.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

A MARCA DA DESIGUALDADE

 

Quem estuda à noite enfrenta hoje um arremedo de

ensino: horas-aula são achatadas e a evasão é bem

maior. Apenas 3,5% dos ingressantes na Fuvest em

2006 saíram do noturno.

Os alunos do ensino médio noturno vivem diante de

uma mentira: a garantia legal da mesma qualidade

proporcionada pelo curso diurno. O encolhimento das

horas-aula oferecidas à noite tornou-se tão evidente

que, no Acre, a Secretaria da Educação resolveu as

sumir o problema e exibi-lo à sociedade. Mas, no Bra

sil, ainda predomina o jogo de faz-de-conta. Arreme

do do diurno, o ensino noturno atende cada vez mais

a periferia e o aluno mais necessitado, que precisa

trabalhar durante o dia. Assim, tende a sintetizar as

desigualdades do país.

Os números da Fuvest são gritantes em relação à

exclusão social de quem faz o noturno. Apenas 398

(3,5%) dos 11.402 alunos matriculados em 2004

estudaram exclusivamente à noite - quase quatro

vezes menos que o percentual de inscrições

(12,4%) de oriundos do noturno em relação ao to

tal. Esse percentual, por sua vez, exibe por si só a

falta de confiança de quem estuda à noite: eles re

presentam 43% do total de alunos do ensino médio

público no país, mas nem tentam entrar em institui

ções como a Universidade de São Paulo.

A luz amarela está acesa para o noturno. Ou não:

em uma das escolas selecionadas pelo Ministério da

Educação (MEC) entre os melhores projetos para

o ensino noturno, só após muita insistência a dire

ção conseguiu que o poder público iluminasse a re

gião - e ajudasse na prevenção da violência. A ex

ploração sexual ronda estudantes de escolas como

a Professor Eidorfe Moreira, em Belém (PA), ou Pro

fessora Esther da Silva Virgolino, em Macapá (AP).

"Há muito assédio entre as meninas", conta a paraen

se Luiza Pereira da Silva. Os problemas começam pe

lo horário de entrada.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

A MARCA DA DESIGUALDADE  : PARTE  II

 

Horários

 

Os estudantes chegam atrasados, apesar de a saída

mais cedo do trabalho ser garantida por lei. "Mas is

so não é cumprido", diz Milton Alves Santos, do Fó

rum da Educação da Zona Leste, em São Paulo (SP).

"A escola, por sua vez, proíbe o aluno de entrar fo

ra do horário e não faz nada para o empregador

cumprir a legislação." Cansados e com fome (diver

sas escolas não têm merenda ou lanchonete), mui

tos alunos prefeririam passar em casa após o tra

balho, mas não podem. A escola Dona Maria Amélia

Bezerra, em Juazeiro do Norte (CE), outra selecio

nada pelo MEC, chegou em 2006 a instalar chuvei

ros como uma das ações para elevar o índice de

aprovação e diminuir o índice de evasão do ensino

noturno.

O horário apertado estrangula o rendimento. Na

outra ponta, muitos estudantes saem mais cedo,

cansados ou para pegar o último ônibus.

"Tem aluno que chega quase às 2h da manhã em ca

sa", conta Sonia Maria Barbosa, da EE Maestro Fabi

ano Lozano, na Vila Mariana, em São Paulo.

"Tinha um que pedia para sair até 21h, porque ha

via toque de recolher imposto por traficantes na co

munidade onde ele morava, em Heliópolis." No Acre,

a Secretaria de Educação cansou-se do acordo táci

to entre professores, alunos e direção para que se

faça de conta que a carga horária está sendo cumpri

da.

"Estamos jogando limpo com a sociedade no Acre, di

zendo que não é verdade que se ministram quatro

horas por dia", dispara o coordenador de Ensino Mé

dio, Hildo Montysuma. "Em média, são dadas no má

ximo três horas." A coordenadora do Ensino Médio

da Secretaria de Educação Básica do MEC, Lucia Lo

di, rejeita essa iniciativa, embora reconheça que os

professores do noturno faltem mais que os do diur

no. "Não podemos em hipótese alguma ignorar o

que a legislação estabelece a propósito da duração

do ano escolar", afirma.

E o aluno, é capaz de aproveitar todo o conteúdo

durante a noite? Rose Neubauer, secretária de Edu

cação em São Paulo entre 1995 e 2002, diz que a

partir das 22h ele não aprende mais nada. "O rendi

mento deles é muito menor mesmo", define. "Os alu

nos da mesma série do noturno têm, no mínimo, um

ano de evasão de conteúdo em relação ao diurno."

Por outro lado, não é possível encurtar mais a jorna

da: "Esse menino não vai conseguir aprender em

três horas, cansado, o que os outros fazem no dia

em cinco horas."

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

A MARCA DA DESIGUALDADE  : PARTE  III

 

Evasão epidêmica

 

Um dos resultados desse quadro nebuloso é um fan

tasma antigo, a reprovação.Em um universo de 9,1

milhões de alunos matriculados no curso noturno em

todo o Brasil, em 2004, foram reprovados 30%, ou

2,7 milhões - 900 mil em cada uma das três turmas

do ensino médio. Mas há uma conseqüência ainda pi

or: a evasão.

No fim de 2003, só 946 mil alunos concluíram o ensi

no médio noturno no Brasil. Apenas 385 mil, cerca

de 40%, tinham entre 17 e 19 anos, na faixa etária

ideal. A explicação: entre 1,2 milhão de estudantes

que abandonaram o ensino médio em 2003, nada

menos que 835 mil (70%) eram do noturno.

Todas as cifras acima referem-se majoritariamente

à rede pública estadual, com mais de 90% da cober

tura do ensino médio. Nem sempre foi assim, infor

ma Rose Neubauer, hoje de volta à pesquisa na Fa

culdade de Educação da USP. Há 20 anos, o grosso

do ensino médio estava nas escolas particulares,

noturnas. Era muito pequeno o percentual no ensi

no médio público. As particulares pararam de cres

cer e o ensino médio público avançou assustadora

mente - era 80% privado, hoje é 90% público.

"Observamos em todo o Brasil um aumento de eva

são no curso noturno, que se reflete nos números

do ensino médio", afirma Rose. Segundo o MEC, a

participação dos alunos do noturno em relação ao

total do ensino médio já foi superior a 50% e ago

ra vem decaindo - está por volta de 43%.

Segundo Rose Neubauer, a progressão continuada

mudou o perfil do ensino noturno nos últimos dez

anos, ao fazer diminuir a reprovação e a evasão no

Brasil. "Nos anos 80, havia falta de vagas no ensino

fundamental e uma clientela enorme de reprovação

era empurrada para o noturno", afirma.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

A MARCA DA DESIGUALDADE  : PARTE  IV

 

Ensino para trabalhadores

 

Um dos diretores da Apeoesp, o sindicato paulista

dos professores da rede estadual, considera o en

sino noturno um "mal necessário". "O ideal seria

ter todos os alunos atendidos regularmente na sua

faixa etária, freqüentando a escola durante o dia

e só ingressando no mercado de trabalho depois

de terminar o ciclo de ensino", afirma Roberto Gui

do. "Mas não é a realidade."

Transformado em uma espécie de ensino para alu

nos que trabalham, o noturno não reflete a realida

de dos trabalhadores, avalia a professora Célia Pe

zzolo, autora em 1995 do livro Ensino Noturno: Re

alidade e Ilusão (Ed. Cortez, 120 págs., R$ 14).

"Em minha pesquisa, encontrei uma falta de aten

ção à questão da diversidade e às especificidades

do aluno da noite", avalia a professora, aposenta

da pelo campus de Ribeirão Preto da USP. "É pre

ciso trabalhar conteúdos coerentes com o mundo

do trabalho." Célia diz que em dez anos pouca coi

sa mudou para esse aluno "que é mais pobre, tra

balha e tem maior responsabilidade".

"O tratamento não é diferenciado, e ele tem inte

resses diferentes e saberes específicos que a es

cola não aborda", avalia. A pesquisadora define a

escola no período noturno como "outra escola".

"É um diurno piorado".

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

A MARCA DA DESIGUALDADE  : PARTE V

 

Experiências de sucesso

 

 



Em Teotônio Vilela (AL), o curso médio noturno da EE

Pedro Joaquim de Jesus foi dividido em quatro blocos

letivos por ano. A medida visa evitar a evasão, provo

cada pelo trabalho na agroindústria da região. Quan

do há pico de produção, o aluno pode trancar somen

teum bloco letivo.

Em Ijuí (RS), o projeto A Gente Vive do Jeito que Dá

foi, a exemplo do alagoano, um dos escolhidos pelo

MEC em concurso para identificar dez experiências

de sucesso de melhoria do ensino noturno. A EE Emil

Glitz busca relacionar o conteúdo ao processo produ

tivo, como recomendado por especialistas.

A coordenadora do ensino médio do MEC, Lucia Lodi,

diz que a inscrição de 976 projetos indica que a co

munidade escolar tem procurado dar respostas às es

pecificidades do noturno. "Para compensar as entra

das tardias do aluno, há desenvolvimento de outras

atividades", exemplifica. "Para fazer o aluno se moti

var a ir à escola, há um cuidado especial com as ativi

dades da sexta-feira." O edital do MEC ofereceu R$

140 mil para cada uma das dez escolas escolhidas, du

as de cada região.

Em um universo de 16 mil escolas públicas, pouco.

Mas Lucia Lodi informa que, a partir das 50 melho

res experiências, o MEC fará aos gestores estadu

ais uma proposta de organização curricular, didáti

co-pedagógica e de gestão.

Fazer as boas experiências ganharem escala, eis o

desafio. Ela reconhece a dificuldade, mas invoca o

pioneirismo da iniciativa: "A LDB diz que o ensino no

turno tem de ser oferecido com a mesma qualidade

do ensino diurno. Ponto." (ALC).

 

  Revista Educação
 
  Reportagem : Alceu Luís Castilho e Fábio de Castro


Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

Língua portuguesa está mais pre

sente do que nunca na Copa

 

 

 

Pela primeira vez na História dos Mundiais, três sele

ções de língua portuguesa - Brasil, Portugal e Ango

la - participam de uma Copa do Mundo de futebol,

que será realizada a partir de 9 de junho na Alema

nha-2006.

Em 18 edições, o pentacampeão mundial e defensor

do título Brasil sempre assegurou o toque português

e Portugal se juntou aos brasileiros na Inglaterra-

1966, quando foi a grande surpresa desse torneio, no

México-1986 e em Coréia/Japão-2002. Mas na Ale

manha-2006, Angola, ex-colônia de Portugal, quer se

tornar a nova surpresa de língua lusa.

Os angolanos, que possuem mais tradição no basque

te que no futebol, já surpreenderam durante as elimi

natórias ao deixar de fora uma potência do continen

te, a Nigéria, que vinha de três participações consecu

tivas na Copa do Mundo.

No entanto, esta equipe, cuja maioria dos jogadores

que atuam no exterior disputa a liga lusitana, fracas

sou na Copa da África de Nações (CAN) 2005, última

competição importante da qual participou. A experi

ência na Alemanha deverá servir para elevar o nível

do futebol angolano.

Quarenta anos depois, o Mundial voltará a contar com

um duelo entre seleções de língua portuguesa, quan

do Angola enfrentar Portugal no dia 11 de junho em

Colônia, na abertura do grupo D.

A única vez que isso ocorreu foi em 66, quando Port

ugal venceu por 3-1 e eliminou o bicampeão mundial

na primeira fase.

Angola, que jamais chegou a uma final de Copa Afri

cana e que estréia na Copa do Mundo, será uma das

debutantes do torneio. De fato, é o pior classificado

no ranking da FIFA dos 32 participantes.

Por outro lado, Portugal buscará deixar de ser uma

promessa para se tornar realidade. Chega como vi

ce-campeão europeu com a experiência de um técni

co campeão mundial (Luis Felipe Scolari, com o Brasil

em 2002) e uma equipe que mescla jogadores con

sagrados - Figo, Pauleta e Deco - e outros que surgi

ram recentemente: Cristiano Ronaldo, Tiago e Ricar

do Carvalho.

"A equipe tem muita qualidade e experiência, com

jogadores de clubes de alto nível. Não vamos come

ter os mesmos erros", disse Luis Figo, atacante do

Inter de Milão.

"Scolari é um dos melhores técnicos da atualidade

e um dos melhores que já tive", afirmou o ex-joga

dor do Barcelona e do Real Madrid.

A missão da equipe de Maniche, Paulo Ferreira e Ri

cardo Carvalho, figuras do bicampeão inglês Chel

sea, será difícil: superar a atuação da seleção portu

guesa de 1966, equipe da "Pantera" Eusébio que al

cançou as semifinais.

Há ainda um dado relevante que enche de esperan

ças os nostálgicos torcedores lusitanos. Em 1966, no

banco português estava Otto Glória, um brasileiro

como Scolari.

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem