BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




.

.

Depoimentos dos bem-sucedidos no vestibular



O Globo

 

1º lugar geral da UFRJ: Victor Willcox

 ainda está em dúvida se fará o curso

de direito na UFRJ ou na Uerj. Mas em

 vez de ficar preocupado com a deci

são, foi mergulhar, de férias, no Nordeste. O estudante, que é super

dotado, nem de longe se parece com os nerds caricatos da TV.

- Sei administrar bem meu tempo, por isso nunca deixei de fazer o

que gosto para estudar.


 

1º lugar geral da UFRJ:

Aprovado

para engenharia de computação e in

formação na UFRJ, João Pedro Fran

cese conta que estudava diariamente

na escola, das 7h às 18h. Em casa

não pegava nos livros durante a semana. Às vezes, aos sábados à

tarde, estudava em grupo.

- Mas sábado de manhã também ia à escola.


 

1º lugar geral da UFF:

O capixaba

Pedro Henrique Cellia queria montar

uma república no Rio com outros ami

gos de Vitória, que passaram para a

UFF. Mas não será preciso. Ele também passou para medicina na

Federal do Espírito Santo e ficará em seu estado:

- Sou oito ou oitenta. Fiquei em 80 lugar na UFES. O último colo

cado.


 

1º lugar geral da Uerj:

Durante a

semana, Luis Filipe Carvalho ficava

mais de 12 horas direto na escola.

 Mas nos fins de semana, o estudan

te não abria mão de sair com os amigos, ir a festas e boates.

Apesar do primeiro lugar na Uerj, onde optou por engenharia de

produção, Luis vai cursar engenharia de controle e automação

na UFRJ.


 

1º lugar em medicina na Uerj:

Classificado para medicina na Uerj e na

UFRJ, Pedro Dantas Araújo optou pe

la federal. Mas, por garantia, fez a

pré-matrícula na Uerj.

- Vai que acontece algum problema. Mas vou cancelar. Já recebi

até recado no Orkut de uma menina que aguarda reclassificação

na Uerj.


 

2º lugar geral na Uerj:

A primeira meta estabelecida por Rafael José

Pereira foi escolher uma profissão.

Como não chegou a uma única opção,

fez vestibular para engenharia de produção (UFF e Uerj), de com

putação (PUC) e de controle e automação (UFRJ). Passou em to

das.

- Estou em dúvida. Passar é fácil. Difícil é escolher a carreira.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

COMO IR BEM NUM VESTIBULAR? DICAS:

 

Como alcançar seu objetivo

O Globo

AVALIAR: - Segundo a psicóloga Mônica Portella, o primeiro passo

é anotar tudo o que você faz diariamente. Verifique quanto tempo

gasta com estudo, saúde, lazer, amigos, família e outras ativida

des.

ORGANIZAR: - Em seguida, reorganize seus horários dando priori

dade para os estudo. Para facilitar, monte dois gráficos em forma

to de pizza para comparar como seu tempo é gasto atualmente

e como será sua vida nos próximos meses.

ESTIMULAR: - Estabeleça pequenas metas para serem cumpri

das diariamente ou semanalmente. Faça uma agenda só para is

so. A cada meta cumprida você fica mais estimulado para seguir

seu plano e alcançar o grande objetivo: passar no vestibular.

REAVALIAR: - Todo mês verifique se seu planejamento dá resul

tados positivos.

MUDAR: - Se seu plano inicial não dá resultados, mude. Se ne

cessário, peça ajuda aos pais ou a um professor.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

CDF ,  NERD ,   GÊNIO......COMO  CHAMÁ-LO?

 

Quem precisa de plano de metas?

Ediane Merola

RIO - A meta dos vestibulandos é, sem dúvida, entrar para a facul

dade. Mas, para alcançar este objetivo, é necessário progra

mar-se e ter muita disciplina, como fizeram os primeiros colocados

no vestibular 2006 da UFF e da Uerj. Segundo educadores e psicó

logos, os estudantes devem aproveitar o início do ano letivo para

fazer uma agenda, organizar horários, estabelecer prioridades e,

claro, começar a estudar muito!

Para a psicóloga Mônica Portella, organização é a palavra-chave

para quem tem metas. Sem isso, o estudante tende a ficar atra

palhado e estressado:

- Organizar-se parece óbvio, mas quase ninguém faz isso. A de

sorganização pode afetar o rendimento do estudante - diz Môni

ca, que dá palestras sobre planejamento de vida.

Primeiro colocado geral da Uerj, Luis Filipe Carvalho, de 17 anos,

conta que fez um planejamento logo no início do 3º ano: trancou

a matrícula do curso de música, reorganizou seu tempo de estu

do e estudou mais para suas específicas.

- Não estudava em casa e me programei para ficar na escola.

Durante a semana, tinha aula até as 13h. Depois do almoço,

aprofundava as matérias específicas até as 16h e, em seguida, fi

cava com monitores até as 19h30m. Sábado de manhã tinha aula,

mas quando saía do colégio só queria descansar, ver os amigos.

Isso é importante - diz Luis Filipe, que estudou no CEL e passou

para engenharia de produção na Uerj.

Maristela Braga, orientadora educacional do Colégio Anglo-Ameri

cano, também acha importante que os estudantes estabeleçam

metas, mesmo que façam isso inconscientemente:

- Quem é mais organizado faz isso naturalmente. Mas quem tem

dificuldade para se concentrar deve pedir ajuda aos pais, aos pro

fessores. Quem traça metas sente-se mais seguro.

Pedro Henrique Cellia, de 18 anos, primeiro colocado geral da UFF,

pediu ajuda ao pai.

- Meu pai disse que eu precisava ter uma meta, que era passar.

Mas eu também tinha objetivos diários, como entender melhor o

que aprendia na escola. Além de rever as apostilas, toda noite

consultava livros para aprofundar o conteúdo - diz Pedro Henri

que, que estudou no Colégio Charles Darwin, de Vitória, e pas

sou para medicina.

Para a psicóloga Fatima Marques, ter metas mais rápidas de se

rem alcançadas é o ideal:

- A meta tem que estar próxima. Se você deseja algo que está

longe, desanima. Programe-se diariamente ou por semana. Quem

se organiza ganha mais tempo para fazer mais coisas.

Graças a sua organização, Rafael José Pereira, de 17 anos, aluno

do Colégio São Bento, teve tempo livre para sair com a namora

da nos fins de semana.

- Fiz um plano de estudo. Tinha aula pela manhã e, a partir das

16h, estudava umas três horas em casa - conta Rafael, segundo

colocado geral da Uerj, para engenharia de produção.

Primeiro colocado de medicina da Uerj, Pedro Dantas Araújo, de

18 anos, aluno do pH, diz que não fez um planejamento para al

cançar sua meta, que era fazer vestibular só uma vez.

- A única coisa que fiz foi estudar mais e em casa, à tarde. An

tes só fazia isso em véspera de prova. E depois dos simulados

na escola, refazia minha estratégia de estudo. É, eu me progra

mei inconscientemente.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Fuvest convoca 11.402 aprovados no vestibular

2006



Globo Online

SÃO PAULO - A Fuvest divulgou nesta quarta-feira a lista dos apro

vados no vestibular 2006. Os nomes dos 11.402 classificados podem

 ser conferidos clicando aqui ou no site da Fuvest . São 9.952 apro

vados para a Universidade de São Paulo (USP) e 100 para a Santa

 Casa. Também está disponível a lista dos 1.350 melhores treineiros .

A matrícula deve ser feita nos dias 13 e 14 de fevereiro, nos horári

os indicados no Manual do Candidato. Os candidatos devem acom

panhar todas as chamadas para matrícula que serão divulgadas

nos postos oficiais da Fuvest, na internet e no Disque Fuvest (11)

 3093-2444).

Depois de cada chamada, o candidato deverá comparecer (ou se

 fazer representar por um procurador) na data e horário previstos,

 à Seção de Alunos da Escola, Faculdade ou Instituto responsável

 pelo curso para o qual foi convocado e efetuar sua matrícula. Ca

so contrário, ele ficará definitivamente excluído do Concurso.

Os documentos necessários para matrícula estão relacionados

abaixo. Em caso de dúvida, a orientação da Fuvest é que seja

consultado o Manual do Candidato e, se necessário, o candida

to deve entrar em contato com a escola.

Veja a lista de documentos:

Universidade de São Paulo (USP)

1) Certificado de conclusão de curso de ensino médio ou equiva

lente e respectivo histórico escolar ou diploma de curso superior

devidamente registrado (uma cópia);

2) Documento de Identidade oficial (uma cópia);

3) Uma foto 3x4, datada, com menos de um ano.

Os documentos dos itens 1 e 2 deverão ser apresentados em 1

(uma) cópia, acompanhada do original, que não ficará retido, ser

vindo apenas para conferência.

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

1) Prova de conclusão do ensino médio ou equivalente e respecti

vo histórico escolar;

2) Certidão de Nascimento;

3) Documento de Identidade oficial;

4) Título de Eleitor;

5) Documento Militar;

6) Cadastro de Pessoa Física - CPF;

7) Duas fotos 3x4 recentes.

- Os documentos constantes dos itens 1 a 6 deverão ser apresen

tados em 2 (duas) cópias autenticadas.

- O pagamento deverá ser efetuado no ato da matrícula.

A segunda chamada será divulgada no dia 17 de fevereiro, com

matrícula no dia 20. A terceira chamada deve ser feita no dia 24

de fevereiro, com matrícula dia 2 de março.

A efetivação da matrícula dos candidatos convocados em 1ª, 2ª

e 3ª chamadas estará sujeita à confirmação da vaga, que deve

rá ser feita pessoalmente pelo ingressante ou por procuração,

na Seção de Alunos da Escola, Faculdade ou Instituto em que

efetuou a sua matrícula, nos dias 7 ou 8 de março. Quem não

confirmar terá a vaga cancelada automaticamente e será ex

cluído de convocações posteriores. Para ser incluído em outras

chamadas é preciso manifestar interesse por vaga.

Os candidatos inscritos para a Academia de Polícia Militar do

Barro Branco, tendo realizado a terceira fase do exame de se

leção, uma vez aprovados e classificados para a 4ª fase, serão

convocados pela Academia, por meio de publicação no Diário

Oficial do Estado.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Câmara aprova criação de cotas para aluno de

escola  pública em universidade federal



Evandro Éboli - O Globo
Globo Online
Agência Câmara

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara

aprovou nesta quarta-feira projeto que cria o sistema de cotas

nas universidades federais. O projeto, que não precisará passar

pelo plenário e vai agora ao Senado, estabelece que 50% das va

gas devem ser destinadas a alunos que cursaram o ensino médio

integralmente em escolas públicas. Dentro desse percentual de

vem ser destinadas vagas para negros e índios de acordo com o

percentual racial medido pelo IBGE em cada estado.

O projeto, de autoria da deputada Nice Lobão (PFL-MA) e apro

vado na forma de substitutivo apresentado pelo deputado Carlos

Abicalil (PT-MT), prevê que o sistema deve ser implantando gra

dualmente (25% ao ano) num prazo máximo de quatro anos. Em

dez anos de funcionamento, o sistema poderá ser revisto pelo

Ministério da Educação.

Esse mesmo sistema de cotas está previsto na reforma universi

tária elaborada pelo Ministério da Educação em parceria com re

presentantes de entidades não-governamentais. O projeto, po

rém, ainda não foi para o Congresso. Há rumores de que o go

verno retiraria do texto a obrigatoriedade do oferecimento de

50% das vagas para as cotas, mas ainda não foi tomada

uma decisão definitiva.

Provavelmente, a reforma será enviada ao Congresso como

Projeto de Emenda Constitucional (PEC). Caso o governo não

faça referência alguma ao sistema de cotas, o que vale seria

o projeto de lei que será votado no Senado. Mas se o projeto

da reforma explicitar regras para a reserva de vagas, este

passa a valer.

ACESSO - A relatora do projeto na CCJ, deputada Iara Ber

nardi (PT-SP), disse que o texto aprovado amplia a experi

ência já adotada por algumas instituições públicas com o

objetivo de facilitar o acesso dos alunos carentes ao ensi

no superior.

- As experiências que começaram há dois ou três anos ser

ão, com certeza, aproveitadas - afirmou. Iara lembrou que

várias iniciativas na Câmara incentivaram o debate sobre a

democratização da universidade pública, "com base naque

le conceito de que só alunos de escolas pagas, particulares,

passavam nos vestibulares das universidades públicas fede

rais".

Para Iara Bernardi, o sistema de cotas vai se juntar a outros

dois instrumentos de universalização do ensino aprovados re

centemente na Câmara: o Programa Universidade para Todos

(ProUni), que reservou bolsas em universidades particulares,

e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação

Básica (Fundeb), por meio do qual pretende-se oferecer, em

quatro anos, vagas para todos os jovens do ensino médio, au

mentando assim a demanda por universidade.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Notas do Enem 2005 divididas por escolas e

municípios já podem ser consultadas



Globo Online

BRASÍLIA - Pela primeira vez desde que o Exame Nacional do Ensino

Médio (Enem) foi criado, em 1998, o Instituto Nacional de Estudos

e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou as notas

da prova divididas por escolas e municípios. Nesta quarta-feira, foi

liberada no site

www.inep.gov.br/basica/enem/desempenho/desempenho.php a con

sulta ao banco de dados do último exame, realizado em 25 de setem

bro de 2005, do qual participaram 2,2 milhões de estudantes.

Clique aqui   para ver o ranking do Rio e de São Paulo.

A pesquisa pode ser útil para quem quer saber o desempenho dos alu

nos de um determinado colégio ou de todas as unidades escolares de

um município, por exemplo. E auxilia professores e dirigentes escola

res no aprimoramento do sistema educacional e da qualidade do ensi

no.

O presidente do Inep, Reynaldo Fernandes, explica, no entanto, que

os dados não devem ser a principal referência para se avaliar a qua

lidade das escolas:

- O que se tem é uma média do desempenho dos alunos cujo conhe

cimento adquirido depende da qualidade da escola em que estuda e

também de seu histórico escolar, familiar e da comunidade que fre

qüenta.

Os interessados selecionam no site as seguintes opções: UF, muni

cípio, localização (urbana ou rural), dependência administrativa (pú

blica, particular, federal, estadual ou municipal) e modalidade de en

sino (todas, educação profissionalizante - técnico ou ensino regular

e educação de jovens e adultos). Em seguida, devem clicar no bo

tão "buscar" para ser aberta a lista com os resultados.

A nota média geral do Enem 2005 foi divulgada no ano passado e

representou o segundo pior resultado de todas as edições, sendo

considerado de insuficiente a regular. Numa escala de zero a cem,

a prova objetiva ficou abaixo dos 40 pontos, melhor apenas que

o Enem 2002 (34,13 pontos). Na redação, o desempenho dos alu

nos evoluiu em relação a 2004, com média de 55 pontos. A pior

pontuação foi em 1998: 46 pontos.

Estão cadastradas no banco de dados do Inep 21.990 escolas

(15.974 públicas e 6.016 privadas). Segundo o instituto, a tendên

cia é que a nota média de um colégio tende a cair quanto maior

for o número de alunos participantes do exame, apesar de não ser

uma regra. Para evitar distorções, as unidades de ensino que tive

ram menos de dez estudantes concluintes do ensino médio apre

sentam resultado SC (sem conceito).

Desde a implantação do Enem, a procura pelo exame aumentou

mais de 1.000%, ultrapassando a marca de 3 milhões de inscritos.

Dos cerca de 2,2 milhões que fizeram a prova em 2005, no menor

índice de abstenção dos últimos cinco anos, 1,2 milhão concluiu

o ensino médio no ano passado e 67% declararam que o principal

motivo para participar do exame era a entrada no ensino superior.

A procura dobrou entre 2005 e 2005. Segundo o Inep, o aumento

é decorrência do Programa Universidade para Todos (ProUni), que

usa os resultados do Enem como critério de seleção para a distri

buição de bolsas, e os processos seletivos de quase 500 universi

dades, que oferecem vantagens para alunos com as maiores no

tas no exame.

As inscrições para o Enem 2006 serão abertas em abril e a pro

va ocorrerá em 27 de agosto.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

CLASSES DE PALAVRAS

PALAVRAS VARIÁVEIS

Palavras variáveis são as que, conforme o próprio nome indica, aceitam ser flexionadas, aceitam modificação sem perder o sentido.
- Perdoem-me a redundância mas, só para ficar mais fácil lembrar...... As variáveis, variam.
Como assim, variam? - você pergunta .
-Eu respondo - Aceitam flexionar, aceitam modificação de tempo, aceitam aumentativo, diminutivo, plural, etc.
Veja como é fácil. Se deparamos com uma palavra e queremos saber se ela é variável ou não, basta tentar flexionar sua formação, coloque-a no diminutivo, mude seu tempo para o passado (Pretérito) ou futuro, passe-a para o plural, etc. e se ela aceitar, então é variável. Ela pode sofrer modificação.
Veja um exemplo prático, repare na palavra:
PROTESTO - eu posso modificar sua flexão passando-a para o plural e obterei a palavra (protestos), ou coloco-a no tempo passado e tenho (protestou). Quando isso é possível, dizemos que a palavra é da família das VARIÁVEIS, ela aceita flexionar sua formação.
 
Temos aqui, SEIS classes que são do grupo das variáveis:
1- Substantivo - Palavra que dá nome aos seres em geral.
Casa, sapato, carro, mesa...
Casarão,casebre, sapatos, sapatinho, carros, carrinho, mesas..
-Os substantivos aceitam flexão, portanto são variáveis.-
 
2- Artigo - Palavra que acompanha o substantivo determinando-o:
Uma casa, os sapatos, o carro, uma mesa
umas casas, o sapato, os carros, umas mesas...
Os artigos podem sofrer modificação e são usados no plural ou singular, portanto, também pertencem ao grupo das variáveis.
 
3- Adjetivo - palavra que expressa a qualidade ou característica do substantivo:
Casa bonita, sapato grande, carro novo, mesa pequena...
casas bonitas, sapatos grandes, carros novos, mesas pequenas...
 
*Atenção com os numerais.
 
4- Numeral - palavra que quando flexionada pode indicar:
quantidade: Aqui trabalham três ajudantes.
ordem: Passei na USP em terceiro lugar.
múltiplo: Aquela casa tem o triplo do tamanho da minha.
fração: Um terço dos deputados votou contra o projeto.
 
5- Pronome - Palavra que acompanha ou substitui o substantivo, para indicar a pessoa do discurso:
Nossa casa, meu sapato, o carro dele, sua mesa...
Nossas casas, meus sapatos, o carro deles, suas mesas...
 
6- Verbo - Palavra que indica ação:
IR: irei, irá, iria, etc...
CASAR: casarei, casaremos, casarão
GOSTAR: gostou, gostei, gostará, gostaria, etc...

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Significante e Significado

A lingüística, além da parte sonora, está carregada de um significado, uma idéia. Portanto, o signo lingüístico constitui-se de duas partes: o Significante que é o lado material (os sons da língua falada ou as letras na língua escrita), e o Significado que é o lado imaterial, ou seja, a idéia que é transmitida pelos fonemas (sons ou pelas letras).

a) "Comprei um geladeira nova!"

b) "Minha namorada está uma geladeira comigo!"

Note que o mesmo signo (geladeira) tem dois significados diferentes dependendo do contexto em que aparece, na frase a, geladeira significa um móvel destinado a manter seu interior em baixa temperatura, na frase b, geladeira pode significar frieza, desprezo, ausência de sentimentos. Deduzimos então, que o significante geladeira tem mais de um significado. No caso a, o signo está empregado em sentido denotativo.

Denotação - consiste em utilizar o signo no seu sentido próprio e único, não permite outra interpretação.

No caso b, a palavra está empregada em sentido conotativo, porque ao signo foi atribuído um novo significado.

Conotação - consiste em dar novos significados ao valor denotativo do signo. O valor denotativo ou conotativo do signo depende do contexto em que este signo se encontra. Ex1: João da Silva é negro. Ex2: Seu futuro será negro.

Sinomínia - Propriedade de duas ou mais formas lingüísticas apresentarem o mesmo significado:
Exemplos: coragem/destemor; ligeiro/lépido/rápido/veloz; tolo/bobo
Obs.: Não existe sinomínia perfeita, já que dificilmente um vocábulo substitui outro com perfeita equivalência de sentido. Quando dizemos que, alguém apresentou uma dúvida tola, não corresponde ao mesmo que dizer que, alguém apresentou uma dúvida boba. A palavra boba neste caso teria uma conotação mais vulgar.
 
Polissemia - Propriedade que uma mesma palavra tem de assumir vários significados dependendo do contexto em que ela ocorre. veja os exemplos que seguem:
 
Não para comparar água com vinho. (ser possível)
Quem aos pobres, empresta a Deus. (fazer doação de algo)
pena de ver o estado daquele homem. (provocar)
Deu com a cara na porta. (bater)
Ela deu uma boa explicação. (apresentar)

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Funções da Linguagem

Leitura

O desenvolvimento humano e o avanço das civilizações dependem do progresso alcançado em suas atividades, a descoberta do fogo, a divisão do trabalho, as máquinas, as tecnologias; mas, acima de tudo, da evolução dos meios de receber comunicação e de se comunicar, de registrar o conhecimento e do desenvolvimento da escrita e fonética. O homem necessita comunicar para progredir, quanto mais avançada for a capacidade de comunicação de um conjunto de indivíduos mais rápida será a sua progressão. A capacidade de comunicação de um conjunto de indivíduos (uma tribo, um país, etc), é decorrente da sua cultura, portanto a comunicação e a cultura estão interligadas e uma impulsiona a outra.

O homem criou além do mundo natural um mundo artificial. Essa segunda natureza criada pelo homem recebe o nome de cultura.

Cultura é todo fazer humano que pode ser transmitido de geração a geração.

A linguagem é, portanto, um elemento da cultura de um povo.

Funções da Linguagem

Função Referencial ou Denotativa - é aquela que traduz a realidade exterior ao emissor. Ex.: os jornais sempre utilizam esse tipo de linguagem pois, relatam fatos verdadeiros, os livros didáticos, de história, geografia, etc., também usam essa mesma linguagem.

Função Emotiva ou Expressiva - é aquela que traduz opiniões ou emoções do emissor. Essa linguagem se caracteriza quando alguém expressa sua opinião sobre determinado assunto. Ex.: "Eu acho que aquele rapaz não está passando bem, parece que está com febre".

Função Fática - é aquela que tem por objetivo prolongar o contato com o receptor ou iniciar uma conversa, caracteriza-se pela repetição de termos. Ex.: "O que você acha dos políticos? - Olha, no meu ponto de vista, sabe, eu acho que,...bem...como eu estava dizendo, os políticos, sabe como é né? É isso aí".

Função Conativa ou Apelativa - é aquela que tem por objetivo influir no comportamento do receptor, por meio de um apelo ou ordem. As propagandas veiculadas na televisão são um bom exemplo desse tipo de linguagem. Ex.: "Compre o sabão espumante, que borbulha melhor do que qualquer outro!".

São características dessa função: verbos no imperativo, presença de vocativos; pronomes de segunda pessoa.

Função Metalingüística - é aquela que utiliza o código para explicar o próprio código. Um bom exemplo dessa função são os dicionários da língua portuguesa.

Função Poética - é aquela que enfatiza a elaboração da mensagem de modo a ressaltar o seu significado. Ao utilizar essa função o autor se preocupa com rimas e comparações bem escolhidas, dando importância fundamental à maneira de estruturar a mensagem. Embora seja mais comum em poesia, essa função pode aparecer em qualquer tipo de mensagem lingüística. Ex.: "sua alma sua palma" (provérbio), Gilberto Gil (nome de artista).

 

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

PRONOMES DO CASO RETO , CASO OBLÍQÜO

 

Os substantivos, os adjetivos e pronomes tinham em latim formas dife

rentes conforme a função sintática que desempenhavam. A palavra la

tina nauta (marinheiro)tinha a forma nauta, quando era sujeito; a for

ma nautam, quando objeto direto; a forma nautae, quando era objeto

indireto. Os romanos classificavam  estas formas de casos. Chamavam

caso reto o nominativo(sujeito); aos outros, com exceção do vocati

vo, caso oblíquo.

OUTRA EXPLICAÇÃO:

Os substantivos latinos apresentavam variações na sua terminação

que serviam para assinalar as relações que estes termos mantinham

com os demais vocábulos das frase, especialmente o verbo. Não

existe uma equivalência exata entre os casos latinos e as funções

sintáticas que usamos na análise do Português, mas, para dar uma

idéia aproximada, digamos que o nominativo correspondia ao nosso

sujeito, o genitivo ao adjunto adnominal, o dativo ao objeto indire

to, o acusativo ao objeto direto e o ablativo ao adjunto adverbial.

O nominativo (e, por extensão, o vocativo), que era considerado a

forma básica de qualquer substantivo, correspondia a uma linha ver

tical, perpendicular ao plano. Os demais casos era vistos como pro

gressivas quedas desta linha em direção ao plano. Os bons profes

sores explicavam isso colocando um lápis na vertical, formando um

ângulo de 90° com a mesa: esse é o nominativo. Inclinando o lápis

18°, temos o genitivo; mais outro tanto, temos o dativo; mais uma

vez, e temos o acusativo; por fim, o ablativo. Partindo, portanto,

da posição considerada normal, cada caso representava uma que

da dessa linha - e por isso a gramática latina escolheu o termo ca

sus, que vem de cadere ("cair"). A enumeração das várias formas

de um vocábulo, em todos os seus casos, era chamada de declina

tio ("declinação"), que os latinos foram buscar nos gramáticos gre

gos, que usavam, para descrever o mesmo fenômeno, o termo klinein

("inclinar-se"). Tudo, portanto, joga com essa diferença entre o lá

pis ereto e o lápis progressivamente inclinado: o nominativo era o ca

so reto, e todos os demais eram os casos oblíquos.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Professores da Educação básica terão

bolsas de até R$ 1.200



O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou nesta

segunda-feira (6/02) a lei que autoriza a concessão de bolsas de estu

do e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e

continuada para professores da educação básica.

O Ministério da Educação prevê que serão beneficiados 280 mil profis

sionais do magistério da rede pública, somente em 2006. Para o paga

mento das bolsas, serão utilizados R$ 79,5 milhões do FNDE (Fundo

Nacional de Desenvolvimento da Educação).

A verba já está prevista no orçamento do MEC, com o redirecionamen

to de quatro ações: formação em serviço em nível médio de professo

res não-titulados - da educação infantil e do ensino fundamental; apoio

ao desenvolvimento da educação básica; modernização da transmis

são do sinal do TV Escola e do uso das tecnologias de informação e

comunicação da educação.

De acordo com a lei sancionada, os professores matriculados nos

programas de formação inicial e continuada receberão incentivo men

sal de até R$ 100. Para os profissionais que atuam como tutores, a

bolsa será de até R$ 600. Os professores que se capacitarão como

formadores, preparadores e supervisores dos cursos receberão até

R$ 900 por mês.

A lei aponta ainda uma quarta categoria para professores do magis

tério superior responsáveis por pesquisas e desenvolvimento de me

todologias de ensino, no valor de até R$ 1.200 mensais.

As bolsas são exclusivas para professores da rede pública em exer

cício no magistério, vinculados a programas de formação do MEC.

A seleção será feita pelos sistemas de ensino (municipais ou esta

duais), de acordo com critérios definidos em cada programa, sendo

proibido o acúmulo de mais de uma bolsa. O período de duração

do benefício está limitado à duração do curso ou projeto ao qual o

professor estiver vinculado. Para o curso de formação inicial em ní

vel superior, o limite é de quatro anos. O curso de formação inicial

em nível médio terá o limite de dois anos e os cursos de formação

continuada e projetos de pesquisa e desenvolvimento terão duração

máxima de um ano.

Os
programas atuais de formação que prevêem bolsas para profes

sores são o Proinfantil (Programa de Formação Inicial para Profes

sores em Exercício na Educação Infantil), o Proformação (Progra

ma de Formação de Professores em Exercício - séries iniciais do

ensino fundamental), o Pró-Licenciatura (programa de formação ini

cial para professores da segunda metade do ensino fundamental e

do ensino médio técnico) e o Pró-Letramento (programa de forma

ção continuada de qualificação em língua portuguesa e matemática).

Fonte: UOL

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem