BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




.

.

SOBRE CONCURSOS : MAIS DICAS

Campus/Elsevier - Qual é a importância de os candidatos

a concursos públicos acompanharem dicas e materiais dis

poníveis em sites especializados e em matérias na mídia.

De que forma isso pode ajudar em sua preparação?

Sylvio Motta – No passado, havia a noção de que se deveria es

tudar para concurso apenas quando lançado o edital. Pelo menos

é isso que diferencia um inscrito de um candidato. Inscrito é aque

le que se inscreve, faz número, aumenta a relação candidato/vaga,

mas não tem a menor condição de lutar por uma daquelas vagas

oferecidas no edital. Já o candidato, é aquele que se prepara com

antecedência, que através do orçamento da entidade federativa sa

be se existe disponibilidade para que naquele exercício financeiro se

ja convocado o concurso que aguarda. O candidato não se deixa en

ganar por boatos e espetáculos de pirotecnia fomentados por órgãos

de mídia especializada. Para o candidato, a Internet não é uma op

ção: é, antes, uma necessidade, uma ferramenta indispensável para

auxiliar o seu êxito nas provas do concurso. Ele sabe que a freqüên

cia assídua em sites e fóruns especializados é muito importante para

o trabalho de preparação. Existem até grupos de estudos virtuais

onde a troca de experiências é valorizada, afinal candidato que é

candidato sabe que a melhor maneira de aprender é ensinando.

C/E - Como o senhor avalia a iniciativa de o Governo Federal

aumentar o número de funcionários concursados, em virtude

dos recentes escândalos noticiados? Esta é mesmo uma ga

rantia de diminuição da corrupção e manutenção da ética nos

quadros públicos?

S.M - Se existe um efeito positivo e imediato de toda essa crise de

credibilidade política na qual o país imergiu, foi a extinção de cerca

de dezoito mil cargos de confiança que, doravante, serão preenchi

dos através de concursos públicos. Até porque o servidor concursa

do sabe que qualquer deslize ético-disciplinar pode implicar perda

do cargo que foi tão duramente conquistado. Por si só, isso funcio

na como uma espécie de freio de conduta na maioria dos casos.

Tudo indica que teremos, ao longo deste último semestre de 2005

e no primeiro semestre de 2006, uma profusão de concursos públi

cos. Só a Receita Federal está oferecendo mil vagas para auditor

e mais mil e quatrocentas vagas para técnico.

C/E - Que orientações o senhor pode dar para quem preten

de passar em um concurso público?

S. M – É imprescindível a vontade estar aliada à disciplina. Um pla

nejamento de estudos, com material didático confiável e, se possí

vel, a freqüência em bons cursos preparatórios existentes no mer

cado.

Fonte: Revista Campus

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Colégio búlgaro instala sacos de boxe com

fotos de  professores


Professores de um colégio búlgaro não gostaram nada da idéia

do diretor da instituição, que resolveu instalar sacos de boxe com foto

grafias dos docentes, dele próprio e de seus assessores, informou a im

prensa de Sófia, capital da Bulgária. Um desrespeito à categoria ou

uma forma criativa de livrar o estresse de alunos? A medida provoca

polêmica, reconhece o diretor Samuil Sheinin, mas ele se mostrou or

gulhoso ao dizer que foi o primeiro a inserir numa escola búlgara o

método japonês para combater o estresse.

- As crianças poderão se desprender das emoções negativas e sai

rão da sala de musculação prontas para novas tarefas nas aulas -

defende o diretor, cujo instituto fica na cidade de Pernik, próxima

à capital búlgara.

As sessões de boxe terão horários diferentes para alunos, funcioná

rios e professores interessados. Segundo Sheinin, a divisão impede

que se saiba o alvo preferido de cada um.

- Já compramos os primeiros quatro sacos - conta o diretor, adian

tando que serão instalados pelo menos dez deles porque se espera

"uma grande participação".

A sala também terá um sistema especial para registrar o número de

golpes, com o objetivo de "conhecer a atitude em relação aos dire

tores e ao corpo docente" e "tomar medidas", caso surja algum pro

blema, diz Sheinin.

Fonte: Globo

**Só faltava essa !

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

COMO PASSAR EM  PROVAS E CONCURSOS ?

Pingue-Pongue com William Douglas
William Douglas
Resumo entrevista

 

Campus/Elsevier - Como passar em provas e concursos é

um dos títulos que o senhor publicou pela Impetus. O que

o candidato deve priorizar quando pretende ingressar no

serviço público?

William Douglas - O primeiro passo é aprender a se organizar,

a estudar e a fazer provas. Quem fizer isto terá um grande au

mento de desempenho, que fará diferença durante o período de

preparação. Não existem milagres, nem fórmulas mágicas, mas

sim técnica, trabalho, disciplina e dedicação. O prêmio, e ele che

gará ao seu tempo, é a aprovação e a posse no cargo. Costumo

dizer que a diferença entre o sonho e a realidade é a quantidade

certa de tempo e trabalho. Há um período de maturação e uma

carga de trabalho a ser feita, e trabalho envolve organização, es

tudo e treinamento. Pode parecer duro, mas é mais fácil do que

não fazer nada ou deixar o próprio futuro incerto. Também é cer

to que a dor da preparação existe, mas ela passa. E o cargo é

para sempre.

C/E - O seu livro é o mais extenso dentre os que tratam

da técnica de estudo. O que o senhor tem a dizer sobre

isso?

W.D – Além de ser o mais extenso, é também o mais completo.

Ele aborda todas as fases da preparação e cada aspecto do es

forço para a aprovação. Embora um material mais conciso seja

atraente, creio que a relação custo X benefício indica a conveni

ência de dedicar à técnica de estudo e de fazer provas uma

atenção maior e mais profunda. Os resultados virão mais rápido.

Apesar de ser um paradoxo, é um paradoxo verdadeiro. A idéia é

simples: é mais inteligente afiar o machado antes de usá-lo. A

organização e o estudo adequados contribuem para a preparação

mais eficaz, a preparação para as provas (que inclui uma parte te

órica, exercícios, simulados e provas reais) é outro diferencial im

portante. O livro Como Passar em provas e concursos foi prepara

do exatamente para que o candidato possa ter acesso a técni

cas e a dicas que aumentem seu desempenho.

C/E - Como avalia a recente determinação do Governo Fe

deral de aumentar o quadro de funcionários provenientes

de concursos públicos com conseqüente diminuição dos

chamados cargos de confiança?

W. D. - Excelente, pois segue a salutar política de prestigiar o con

curso público e o mérito do candidato/servidor. Isso só confirma a

tendência de crescimento do concurso público como meio de a

pessoa participar do governo do país, do serviço público. Estamos

na década do concurso e quem se preparar vai ter inúmeros concur

sos e cargos para escolher. Estamos em um tempo de oportunida

des e os que quiserem poderão aproveitá-las.

Fonte: Editora Campus

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

Que Joana é essa?

“Tá pensando que aqui é a casa-da-mãe-joana?” É a palavra de

ordem para alertar que o ambiente exige respeito.

Casa-da-mãe-joana é onde valem todas as liberdades, a escu

lhambação é a lei.

Então a Joana dessa casa deve ter sido uma encrenqueira e tan

to? Nem tanto. A Joana em questão é Joana I, rainha de Nápoles

no século XIV. Acusada de participar de uma conspiração para

assassinar o marido, seu primo Andrew, fugiu para Avignon, na

França. Lá Joana também reinou. Ajudava artistas, dava conse

lhos, era adorada por todos.

Foi Joana que regulamentou os bordéis de Avignon, estabelecen

do que eles deveriam ter uma porta, passagem única de entrada

e saída da distinta clientela. E, assim, cada bordel da cidade pas

sou a ser conhecido como “o paço da mãe (afetuosamente a do

na da cidade) Joana”, com o sentido de uma casa aberta a qual

quer um, a qualquer hora.

A expressão foi parar em Portugal e desembarcou no Brasil. Como

aqui a palavra “paço” (edifício nobre) era pouco usada, foi subs

tituída por casa, e a expressão ficou “a casa-da-mãe-joana”.

Fonte: Editora Campus/Prof. Reinaldo Pimenta

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

Besta quadrada

A palavra “besta” veio do latim “besta”, animal selvagem, feroz.

Aplicado a uma pessoa, o adjetivo apresenta diferentes sentidos.

Uma pessoa pode ser besta ou uma besta.

Se fulano é besta, é pernóstico, vaidosíssimo. Se fulano é uma

besta, trata-se de um idiota. Ou seja, é melhor ser besta do que

uma besta, embora uma qualidade não exclua a outra. Podem

até ser cumulativas, com um resultado insuportável: o pateta

arrogante.

Se fulano é um grande palerma, desses que emocionam, é pro

movido com louvor a “besta quadrada”.

Na expressão “besta quadrada”, inexiste geometria: a besta

não é quadrada na forma. Se assim fosse, certamente haveria

a besta redonda (talvez para designar o suave imbecil, alguém

que não chega a irritar e rola macio no convívio).

“Besta quadrada” é a simplificação da expressão “besta eleva

da ao quadrado”. A besta quadrada só perde para a besta ao

cubo.

Fonte: Editora Campus

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

TERCEIRIZAR A EDUCAÇÃO : PARTE III

 

Professora afirma que, no início,

teve dificuldade para se adaptar


Assim que recebem as primeiras apostilas, contam os professores, a sen

sação é de pânico, medo de não dar conta do recado. Acostumados a

trabalhar com livros didáticos e sem um prazo fixo para terminar cada

conteúdo, eles contam que sentiram dificuldade quando suas prefeituras

começaram a utilizar o convênio com sistemas particulares de ensino.


"Dava desespero. A gente achava que não daria tempo de acabar o pro

grama de cada bimestre, que os alunos não iam conseguir ler os textos

grandes", lembra Luciane Malachias de Oliveira, 33, professora de 1ª, 3ª

e 4ª séries da rede municipal de Águas de Lindóia, que tem o convênio

há dois anos.


"Passamos por um treinamento antes da mudança, mas a quantidade de

conteúdo se tornou bem maior e tivemos de nos acostumar. Agora, nós

e as crianças já estamos adaptados." Luciane diz que o serviço de 0800

disponibilizado pelo convênio foi um apoio importante. "Sempre que tínha

mos dúvida, telefonávamos", afirma a professora.


Prefeito de Orindiúva, uma das primeiras cidades a adotar a parceria, há

nove anos, Darlei Queiróz de Oliveira (PMDB) também afirma que as pri

meiras dificuldades foram superadas. "Os professores se acostumaram

bem com as apostilas e todo mundo percebe que o ensino está melhor."


Para que os docentes não se sintam muito desorientados, os sistemas

de ensino preparam um treinamento intensivo antes do ano letivo come

çar.


"É natural que no início os professores sintam a diferença, mas trabalha

mos para que fiquem seguros com o material e possam aproveitá-lo ao

máximo", afirma o diretor de marketing do Grupo Positivo, André Caldeira.


Mudança A 165 km de São Paulo, a cidade de Ipeúna vive um fato curio

so. Desde que no ano passado a prefeitura (PSDB) fechou o convênio pa

ra que um sistema de ensino famoso passasse a cuidar de suas escolas,

moradores de outros municípios têm se mudado para lá. Em busca de um

ensino gratuito de "marca", famílias chegam e se instalam por lá.


A artista plástica Lilian Alonso, 36, conta que não pensou duas vezes ao

deixar Diadema. "Tenho cinco filhos. Todos estudavam em colégio parti

cular. Quando fiquei sabendo que a prefeitura oferecia um ensino de qua

lidade reconhecida, comprei uma casa lá."


Antes, ela fez questão de visitar as escolas onde seus filhos estudariam.

"Gostei muito e não me arrependo. Não é só por causa da economia que

estamos fazendo, mas porque sei que eles estão aprendendo mesmo."

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

TERCEIRIZAR A EDUCAÇÃO : PARTE II

Para especialistas, é preciso cautela



Terceirizar a educação não é o melhor caminho para melhorar a formação

dos alunos nas escolas públicas, afirmam especialistas. Para eles, os pais

não devem se deslumbrar com as "grifes" de colégios particulares e é pre

ciso cautela com a expansão dos convênios entre prefeituras e sistemas

privados de ensino, já existentes em 129 cidades de São Paulo.


"Há cidades que adotam esquemas muitas vezes mais ligados ao material

do que ao projeto pedagógico, que estão preocupadas apenas com a

compra de livros", alerta o professor de pós-graduação em educação da

PUC-SP, Mário Sérgio Cortella, que já foi secretário municipal de Educa

ção de São Paulo. Ele lembra que, geralmente, os grupos privados estão

mais preocupados com os conteúdos e com a preparação para o vestibu

lar e menos com a formação geral. "Mas a obrigação da escola pública é

com a cidadania. Acho uma temeridade social a adoção desses convênios."


Coordenadora dos Parâmetros Curriculares Nacionais e integrante do Insti

tuto Sangari, Ana Rosa Abreu também é contra o ensino conteudista e

lembra que o material desses grupos não passa pela avaliação do MEC,

ao contrário dos livros didáticos.


Para ela, é obrigação das prefeituras administrar suas redes de ensino.

"O município não pode delegar a responsabilidade de planejar as propos

tas pedagógicas e capacitar os professores para o setor privado. Dar

uma "grife" de ensino particular à rede pública não é garantia de quali

dade."


Esses tipos de convênio, afirma a professora da Faculdade de Educação

da PUC-SP Helena Machado de Paula Albuquerque, restringem a autono

mia dos professores e podem torná-los dependentes do material e do mé

todo. "É claro que a parceria interessa aos sistemas de ensino, mas acre

dito que os docentes têm potencial para definir melhor o que interessa

para suas turmas."


Mas para Rose Neubauer, diretora-presidente do Instituto Protagonistes

e ex-secretária estadual da Educação de São Paulo, o convênio pode

ajudar municípios pequenos se o material e a proposta forem de qualida

de. "Às vezes temos prefeituras sem quadro técnico para atualizar pro

fessores e desenvolver projetos."


A mesma explicação é dada por secretários de Educação das prefeitu

ras conveniadas. "Com a assessoria de um sistema de ensino fica mais

fácil capacitar os professores", diz Elisabeth Frias Pares, diretora de

Educação de Socorro (prefeitura do PSDB), que adota a parceria há

quatro anos.

Fonte: Folha de S.Paulo


Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Prefeituras de SP terceirizam

a educação

Em São Paulo, 129 municípios já usam recursos federais

para pagar convênios com sistemas particulares


Depois dos serviços de coleta de lixo, de varrição pública e de reca

peamento asfáltico, os municípios estão terceirizando até mesmo a

educação. Prefeitos de 145 cidades brasileiras, sendo 129 no Estado

de São Paulo (um quinto das 645), passaram a usar os recursos fede

rais destinados ao setor para pagar convênios com sistemas particu

lares de ensino, como o Objetivo, o COC e o Anglo.


Apesar de não ser ilegal, as parcerias são contestadas por especialis

tas, já que o dinheiro público é repassado ao setor privado e nem sem

pre os convênios firmados garantem uma melhora na qualidade de en

sino.


Os municípios compram um kit básico que contém apostilas para os alu

nos, treinamentos periódicos para professores e planejamento pedagó

gico. Alguns pacotes incluem avaliações da rede e fornecem ajuda pela

internet. As principais empresas não divulgam seus custos, mas eles va

riam de R$ 145 a R$ 260 por aluno/ano. As aulas ocorrem em escolas da

rede municipal e os docentes são pagos pelas prefeituras.


Mesmo com boa parte dos pais aprovando a medida, educadores lembram

que a responsabilidade de capacitar professores, elaborar projetos e ofe

recer material didático deve ser dos municípios. "Escolas não são empre

sas. Cada uma vive uma realidade e precisa de um projeto próprio. Não

dá para impor um currículo único", diz a chefe do departamento de Admi

nistração Escolar e Economia da Educação da Faculdade de Educação

da USP, Lisete Arelaro.


Os sistemas privados de ensino já são responsáveis por cerca de 320

mil alunos (de um total de 3,2 milhões), a maioria do ensino fundamen

tal. Mais da metade das prefeituras deu início à parceria no ano passa

do, como Jaú, Cajobi, Bocaina e Uchôa. Nesses casos onde a mudan

ça é recente, ainda não há uma avaliação precisa sobre o impacto na

educação.


Em Cerquilho, onde a gestão é do PTB, o programa se desenvolve há

cinco anos. A Secretaria da Educação paga R$ 170 por aluno/ ano em

troca de apostilas bimestrais, oito capacitações para os professores

por ano e apoio pedagógico para resolver as dúvidas dos coordenado

res. A prefeitura afirma que o investimento vale e que a qualidade me

lhorou.

Crescimento


Os grupos de ensino também estão confiantes. A expectativa de cresci

mento das parcerias é de no mínimo 20% para este ano. De olho neste

 mercado há quem esteja criando programas especiais para a rede pú

blica, como o Sistema Aprende Brasil de Ensino (Sabe), do Grupo Posi

tivo -que disponibiliza conteúdo educacional exclusivo no site do grupo.


O COC, sistema responsável por 68 prefeituras, já tem há nove anos o

Núcleo de Apoio à Municipalização (Name). "Damos apoio às prefeituras

para que elas possam dar um salto na qualidade do ensino", afirma o

superintendente do COC, Nilson Curti.


As atividades na internet, no entanto, não estão disponíveis para a re

de pública, porque muitas prefeituras não têm como acessar esse mate

rial por falta de recursos.


Para manter os clientes privados, alguns sistemas não trabalham na re

de municipal de cidades que tenham escolas conveniadas. É o caso do

Grupo Opet. "Não fechamos com as duas redes em uma mesma cidade

para que não haja competitividade, já que todo o trabalho e material é

igual", diz a gerente de negócios do grupo, Jacqueline Menezes. "Conos

co, o aluno da rede municipal recebe exatamente a mesma formação

que o da particular."


Mas há casos em que o material que vai para a rede pública não é o

mesmo da rede privada. O Objetivo e o Positivo, por exemplo, preparam

apostilas especiais para escolas municipais. "O número de atividades

na rede pública é menor que na rede privada, mas a maioria das propos

tas permanece como sugestões no caderno do professor", explica o dire

tor-geral do Objetivo, José Augusto Nasr.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

UFRJ, Uerj e Uenf anunciam aprovados no vestibular

2006


RIO - Depois da ralação dos estudos e da maratona de provas, chegou

o momento mais esperado pelos candidatos dos principais vestibulares

 do Rio. Foram anunciados nesta sexta-feira os resultados dos concur

sos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade

do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e da Universidade Estadual do Norte

Fluminense (Uenf). A divulgação da lista da UFRJ estava prevista para

 o dia 31, mas foi antecipada.

O GLOBO ONLINE disponibiliza a lista completa dos aprovados na UFRJ

(clique aqui) , as notas alteradas e as notas mantidas . A outra opção

 é inserir o número de inscrição e a senha na internet no site da univer

sidade: www.vestibular.ufrj.br .

Já o resultado do vestibular Estadual pode ser consultado no site

www.vestibular.uerj.br ou clicando em: lista de aprovados na Uerj ,

lista de aprovados na Uenf , notas alteradas - Uerj e

notas alteradas - Uenf .

As matrículas na UFRJ, tanto para o primeiro quanto para o segundo se

mestre de 2006, (com exceção dos cursos da Escola Politécnica), devem

ser feitas na Ilha do Fundão, no dia 8 de fevereiro (para candidatos cu

jos nomes iniciam pelas letras A até F), no dia 9 (G até M) e no dia 10

(N até Z), das 10h às 15h, conforme tabela.

Veja os locais de matrícula e os documentos necessários.

No caso dos classificados no vestibular Estadual, a pré-matrícula deve

ser feita de acordo com a seguinte escala nominal: candidatos com ini

ciais de A a F, na terça-feira (dia 31); de G a N, na quarta (1); e de O

a Z, quinta (2), das 10h às 16, na Uerj (Rua São Francisco Xavier 524,

Pavilhão João Lyra Filho, Maracanã). A primeira reclassificação automá

tica será divulgada no dia 11 de fevereiro.

A UFRJ ofereceu no concurso 6.615 vagas, a Uerj, 5.168 vagas, e a

Uenf, 496.

Fonte: Globo Online

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Estudantes são presos por fraude em vestibular


RIO - Quatro estudantes foram presos em flagrante  neste domingo

fraudando o vestibular de medicina da Universidade Gama Filho.

Eles estariam usando chips nas palmilhas e celulares para receber in

formações. Os jovens estão sendo ouvidos pelo delegado da 24ª DP

(Piedade), onde o caso foi registrado. O nome deles ainda não foi di

vulgado.

Fonte: O Globo

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

OAB-DF reprova 69% dos bacharéis no último exame

de ordem

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Distrito Federal

reprovou 69% dos bacharéis em direito que fizeram o último exame de

ordem, realizado em dezembro de 2005. Do total de 2.059 inscritos,

1.420 foram reprovados e somente 560 candidatos conseguiram apro

vação e vão receber a carteira de advogado. Foram registradas 79

ausências.

Os nomes dos aprovados no III Exame da OAB-DF estarão disponíveis

a partir das 18h no site www.oabdf.org.br e nos murais da OAB do Dis

trito Federal.

Os bacharéis aprovados poderão se dirigir à Comissão de Seleção e So

ciedade dos Advogados da OAB-DF e requerer sua inscrição a partir da

próxima segunda-feira. Antes, era necessário esperar o certificado de

aprovação, que só será entregue a partir de 2 de março. O candidato

que não obteve êxito na segunda fase poderá apresentar recurso no pe

ríodo de 30 de janeiro a 1º de fevereiro.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Senado aprova ampliação do ensino fundamental

para nove anos

Globo Online
Agência Senado

BRASÍLIA - O projeto que amplia o tempo de duração do ensino fun

damental obrigatório de oito para nove anos foi aprovado nesta quar

ta-feira pelo Senado. Para começar a valer, a lei deve ser sanciona

da pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos próximos 15 dias. O

prazo para as escolas se adequarem às novas regras vai até 2010,

mas cerca de 24% das unidades de ensino do país já implementaram

a mudança, segundo o Ministério da Educação.

O projeto pode causar dúvidas em pais e alunos, que não terão que

pular uma série ou estudar mais um ano do que o normal. Na prática,

a antiga pré-escola passa a ser a primeira série e, portanto, o ensi

no fundamental termina no nono ano e não mais no oitavo. A mudan

ça influencia diretamente nas escolas públicas do país, pois hoje a

pré-escola é apenas um direito e, com a lei, torna-se obrigatória.

De acordo com o parecer do senador José Jorge (PFL-PE), a lei atu

al já fixa em 6 anos a idade para o início do ensino fundamental,

mas não torna obrigatória a duração de nove anos. O parlamentar

explica que o atual projeto tem o mérito de ajustar o texto da Lei

de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) à proposta de aumento

da duração do ensino obrigatório. Até 2010, será feita a adaptação

ao novo modelo das pré-escolas, que passarão a atender a crian

ças de 4 e 5 anos de idade.

Na opinião do relator da proposta, a nova lei permitirá que se resol

vam "problemas operacionais" encontrados em alguns estados par

a a ampliação do ensino fundamental. A seu ver, a adoção do perío

do de nove anos já pode ser considerada um "consenso nacional".

- No contexto internacional, onde o ensino obrigatório se estende

a nove, doze e até mais anos, o Brasil se sentia em dívida com as

pressões dos educadores e da sociedade - disse José Jorge.

Entre as famílias de maior renda, lembra o relator, já existe uma

prática bastante difundida de se antecipar o início da escolariza

ção

fundamental. Segundo ele, os censos escolares têm identificado

a existência de classes de alfabetização com crianças de 5 e 6 anos,

além de recentes propostas de organização do ensino fundamental

em três ciclos de três anos cada, totalizando os nove anos, com iní

cio aos 6 anos de idade. O novo projeto, portanto, pode reduzir a

distância entre o ensino oferecido às crianças de classes sociais dif

erentes.

A ampliação do ensino fundamental foi bem recebida pelo Ministério

da Educação. O secretário de Educação Básica, Francisco das Cha

gas, esclarece o papel do MEC no processo:

- Estamos trabalhando para garantir apoio técnico e financeiro aos

municípios e estados por meio de material mais pedagógico, ou seja,

como os alunos e professores vão tratar a questão da aprendizagem

a partir dos 6 anos de idade.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

MEC cria programa para aperfeiçoamento de

professores da educação básica

Agência Brasil

Para melhorar o desempenho escolar dos alunos da edu

cação básica, 200 mil professores vão fazer neste ano curso de for

mação continuada em alfabetização, letramento e matemática.

O Ministério da Educação (MEC) criou o programa Pró-Letramento -

Mobilização pela Qualidade na Educação, desenvolvido pelas secreta

rias de Educação Básica e Educação a Distância, para formar profes

sores e melhorar o aprendizado dos estudantes em leitura, escrita e

matemática.

Mais de 50% dos alunos do ensino fundamental no Brasil apresentam

baixo rendimento em língua portuguesa e matemática, de acordo com

dados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

A diretora de Políticas de Educação Infantil e ensino fundamental do

MEC, Janette Beaushamp, explica como o pró-letramento vai ajudar a

melhorar a qualidade da educação básica:- É um investimento que es

tamos fazendo no processo de ensino e aprendizagem das crianças.

Os indicadores do Saeb indicam resultado pouco satisfatório nas áreas

de português e matemática - explica.

Os primeiros professores a fazer o curso de formação continuada serão

do Ceará, Rio Grande do Norte e Maranhão. O curso, com duração de

120 horas, terá início em março.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Procura de mulheres pelo ensino superior cresce mais

que a de homens

Agência Brasil

RIO - O número de mulheres matriculadas em instituições do ensino superior

 cresceu 22% a mais que as matrículas de homens entre 1991 e 2005. O

crescimento feminino foi de 181% (de 833 mil para 2,3 milhões) e o masculi

no, 148% (de 731 mil para 1,8 milhão), segundo dados do Instituto Nacio

nal de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

De acordo com a gerente de projetos da Secretaria Especial de Políticas pa

ra as Mulheres, Dirce Grosz, o aumento da escolarização das mulheres co

meçou a ser verificado na década de 80. Ela não conhece estudos que ex

pliquem o fenômeno da explosão de matrículas femininas no ensino superior,

mas arrisca algumas respostas:

- Há uma proporção maior de mulheres na população, principalmente a par

tir dos 20 anos de idade. Existem mais mulheres terminando o ensino mé

dio do que homens.

Dirce acrescenta que as mulheres buscam cada vez mais o aperfeiçoamen

to para conseguir uma melhor colocação no mercado de trabalho:

- Elas estão despertando para a procura dos seus direitos e do seu espa

ço. E questionam os papéis que até então a sociedade colocava para

elas, que era o cuidado da família.

A agente de viagens Maria Antônia Ferreira, de 59 anos, moradora do Rio,

é de uma família de três irmãs que não cursaram o ensino superior, segun

do ela, por falta de estímulos e de oportunidades. Sua filha de 21 anos é

a primeira mulher da família a se matricular numa universidade.

- Tudo mudou. Hoje, se você não tem uma faculdade, tudo fica mais com

plicado por causa da competição. É muito mais difícil o acesso ao merca

do de trabalho - afirma.

Estudo não é suficiente para igualar salários

A gerente Dirce explica que, apesar da maior participação das mulheres no en

sino superior, a escolarização não é suficiente para acabar com a disparidade

de salários entre homens e mulheres.

- Se olharmos as pesquisas, as mulheres recebem até 60% do que um ho

mem recebe para fazer o mesmo trabalho, no mesmo posto, no mesmo tem

po. Esta é uma grande luta que a gente está travando e que a sociedade,

como um todo, homens e mulheres, deve travar, para a gente poder alcan

çar a igualdade de espaço, de poder e de trabalho para homens e mulhe

res - alerta.

Quem concorda é o diretor de Estatísticas do Ensino Superior do Institu

to Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Dilvo Ristoff.

Ele destaca, no entanto, que o fenômeno expõe um problema do siste

ma educacional brasileiro: a evasão escolar dos homens por conta do

trabalho, que já começaria no segundo segmento do ensino fundamen

tal e se agravaria ao longo da escalada educacional.

Se em 1991, a diferença de matrículas entre os dois sexos era de 132

mil, hoje, ela já chega a 529 mil. Atualmente, cerca de 56% das matrí

culas nos cursos de graduação pertencem a mulheres. Isso em uma so

ciedade em que as mulheres representam cerca de 50,7% da população.

- Quando os números ultrapassam a proporção do que existe na socie

dade, algo parece estar errado. Se o homem trabalha mais cedo, se qui

ser continuar trabalhando e se ele é pobre, como é o caso de 25% dos

mais de nove milhões de estudantes do ensino médio, enfrentará uma

dificuldade tremenda. Isso é um estímulo muito grande à evasão - des

taca Ristoff.

O diretor do Inep conta que, muitas vezes, este homem não tem dinhei

ro para pagar uma universidade particular nem tempo para se preparar

para um vestibular de universidade pública. Por isso, Ristoff acredita se

rem importantes políticas como o Programa Universidade para Todos

(ProUni), do Ministério da Educação (MEC), que democratizariam o aces

so da população mais carente à universidade e, assim, poderiam reduzir

a diferença de matrículas entre homens e mulheres.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem