BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos , Portuguese , English , Música , Esportes , Amor
Outro -
Magia Gifs - O melhor site de GIFs!

Meu Humor



PERFIL
Nome:Nilceu Francisco

Aniversário:11 de julho

Cidade:Campinas-SP

Gosto:Boas amizades, Viver, Conquistar, Amar

Hobby:Compor

Filmes:Aprecio a todos os gêneros

Músicas:Dance, Românticas... Preferidas :Folhas de outono; As rosas não falam, Palavras lindas...

GREVE DOS PROFESSORES EM SP

SOM
Tema do filme " Ao mestre com carinho"


ALUNOS, EX-ALUNOS DE DIVERSAS ESCOLAS ONDE TRABALHO OU TRABALHEI.

MEUS OUTROS BLOGS

PAPAIS


FOLCLORE


OLIMPÍADAS BRASIL LÁ


CÂMERA OCULTA


O UÓ DO BOROGODÓ


MAMÃES


PAIXÃO POR CRISTO


BIG & BLOG


TÔ COM A MACACA


ENVIE CARINHOS


LOVE STORIESS


BLOG NILCEU


GARGALHADAS


RECANTO SANTISTA


BLOG POLÍTICA


PROSAMOROSA


BLOG ADULTO


FOTOLOG DA FAMA


FOTOBLOG SENSUAL


NATAL DOS SONHOS-Pesquisa


BLOG NEWCEU- Pesquisa


BLOG PAN-PAN - Pesquisa


BLOG FOLCLORE - Pesquisa


CAUSOS & FOLIAS - Pesquisa


BYE, BYE, tristeza - Pesquisa


ESPORTES & SPORTS - Pesquisa


HOME

LINKS

Aulas
ANPED
APEOESP
APRENDIZ UOL
Banco Brasil
BANCO ITAÚ
BANESPA
BLOGGER
BOL
BRADESCO
CAIXA FEDERAL
CENP - EDUNET
Como estudar
CONCURSOS
CPP
CURIOSIDADES
D.E. Leste
D.E. Oeste
Downloads Livros
ENEM
FATOS
Folclore
G1 Notícias
Gifs Best
GLOBO
Imprensa Oficial
Lição Casa
Ling Estrangeira
Literat e Gramát
Livros-Downloads
Ministério Fazenda
MEC
Nossa Caixa
PEGADINHAS
Portal MEC
Prefeitura Cps
PUCCAMP
Revista Profs
Secretaria Educação
TERRA
UNICAMP
UOL
USP
YAHOO
Manual Profs
Sonhos
Extra/Globo
EducarCrescer
EAD


Votação

Dê uma nota para meu blog OBRAS DE ARTE ALEIJADINHO, ANITA MALFATI, PORTINARI, MICHELANGÊLO, TARSILA DO AMARAL


INDIQUE

Indique esse Blog PESQUISE ARQUIVOS

25/08/2013 a 31/08/2013

11/08/2013 a 17/08/2013

21/07/2013 a 27/07/2013

23/06/2013 a 29/06/2013

21/04/2013 a 27/04/2013

14/04/2013 a 20/04/2013

07/04/2013 a 13/04/2013

11/11/2012 a 17/11/2012

04/11/2012 a 10/11/2012

14/10/2012 a 20/10/2012

01/07/2012 a 07/07/2012

29/04/2012 a 05/05/2012

22/04/2012 a 28/04/2012

26/02/2012 a 03/03/2012

29/01/2012 a 04/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

01/01/2012 a 07/01/2012

18/12/2011 a 24/12/2011

27/11/2011 a 03/12/2011

20/11/2011 a 26/11/2011

13/11/2011 a 19/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

09/10/2011 a 15/10/2011

18/09/2011 a 24/09/2011

11/09/2011 a 17/09/2011

04/09/2011 a 10/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

05/06/2011 a 11/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

24/04/2011 a 30/04/2011

10/04/2011 a 16/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

20/02/2011 a 26/02/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

17/10/2010 a 23/10/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

29/08/2010 a 04/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

04/07/2010 a 10/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

31/01/2010 a 06/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

20/12/2009 a 26/12/2009

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

22/11/2009 a 28/11/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

08/11/2009 a 14/11/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

06/09/2009 a 12/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

12/07/2009 a 18/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

08/06/2008 a 14/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

11/05/2008 a 17/05/2008

04/05/2008 a 10/05/2008

27/04/2008 a 03/05/2008

20/04/2008 a 26/04/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

06/04/2008 a 12/04/2008

30/03/2008 a 05/04/2008

23/03/2008 a 29/03/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

09/03/2008 a 15/03/2008

02/03/2008 a 08/03/2008

24/02/2008 a 01/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008

10/02/2008 a 16/02/2008

03/02/2008 a 09/02/2008

27/01/2008 a 02/02/2008

20/01/2008 a 26/01/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

30/12/2007 a 05/01/2008

23/12/2007 a 29/12/2007

16/12/2007 a 22/12/2007

09/12/2007 a 15/12/2007

02/12/2007 a 08/12/2007

25/11/2007 a 01/12/2007

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

04/11/2007 a 10/11/2007

28/10/2007 a 03/11/2007

21/10/2007 a 27/10/2007

14/10/2007 a 20/10/2007

07/10/2007 a 13/10/2007

30/09/2007 a 06/10/2007

23/09/2007 a 29/09/2007

16/09/2007 a 22/09/2007

09/09/2007 a 15/09/2007

02/09/2007 a 08/09/2007

26/08/2007 a 01/09/2007

19/08/2007 a 25/08/2007

12/08/2007 a 18/08/2007

05/08/2007 a 11/08/2007

29/07/2007 a 04/08/2007

22/07/2007 a 28/07/2007

15/07/2007 a 21/07/2007

08/07/2007 a 14/07/2007

01/07/2007 a 07/07/2007

24/06/2007 a 30/06/2007

17/06/2007 a 23/06/2007

10/06/2007 a 16/06/2007

03/06/2007 a 09/06/2007

27/05/2007 a 02/06/2007

20/05/2007 a 26/05/2007

13/05/2007 a 19/05/2007

06/05/2007 a 12/05/2007

29/04/2007 a 05/05/2007

22/04/2007 a 28/04/2007

15/04/2007 a 21/04/2007

08/04/2007 a 14/04/2007

01/04/2007 a 07/04/2007

25/03/2007 a 31/03/2007

18/03/2007 a 24/03/2007

11/03/2007 a 17/03/2007

04/03/2007 a 10/03/2007

25/02/2007 a 03/03/2007

18/02/2007 a 24/02/2007

11/02/2007 a 17/02/2007

04/02/2007 a 10/02/2007

28/01/2007 a 03/02/2007

21/01/2007 a 27/01/2007

07/01/2007 a 13/01/2007

31/12/2006 a 06/01/2007

24/12/2006 a 30/12/2006

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

03/12/2006 a 09/12/2006

26/11/2006 a 02/12/2006

19/11/2006 a 25/11/2006

12/11/2006 a 18/11/2006

05/11/2006 a 11/11/2006

29/10/2006 a 04/11/2006

22/10/2006 a 28/10/2006

15/10/2006 a 21/10/2006

08/10/2006 a 14/10/2006

01/10/2006 a 07/10/2006

24/09/2006 a 30/09/2006

10/09/2006 a 16/09/2006

03/09/2006 a 09/09/2006

27/08/2006 a 02/09/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

13/08/2006 a 19/08/2006

06/08/2006 a 12/08/2006

30/07/2006 a 05/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

18/06/2006 a 24/06/2006

04/06/2006 a 10/06/2006

28/05/2006 a 03/06/2006

21/05/2006 a 27/05/2006

14/05/2006 a 20/05/2006

30/04/2006 a 06/05/2006

23/04/2006 a 29/04/2006

16/04/2006 a 22/04/2006

02/04/2006 a 08/04/2006

19/03/2006 a 25/03/2006

12/03/2006 a 18/03/2006

05/03/2006 a 11/03/2006

19/02/2006 a 25/02/2006

12/02/2006 a 18/02/2006

05/02/2006 a 11/02/2006

29/01/2006 a 04/02/2006

22/01/2006 a 28/01/2006

15/01/2006 a 21/01/2006

08/01/2006 a 14/01/2006

01/01/2006 a 07/01/2006

25/12/2005 a 31/12/2005

18/12/2005 a 24/12/2005

11/12/2005 a 17/12/2005

04/12/2005 a 10/12/2005

27/11/2005 a 03/12/2005

20/11/2005 a 26/11/2005

13/11/2005 a 19/11/2005

06/11/2005 a 12/11/2005

30/10/2005 a 05/11/2005

23/10/2005 a 29/10/2005

16/10/2005 a 22/10/2005

09/10/2005 a 15/10/2005

02/10/2005 a 08/10/2005

25/09/2005 a 01/10/2005

18/09/2005 a 24/09/2005

11/09/2005 a 17/09/2005

04/09/2005 a 10/09/2005

28/08/2005 a 03/09/2005

21/08/2005 a 27/08/2005

14/08/2005 a 20/08/2005

07/08/2005 a 13/08/2005


Créditos




.

.

USP e Unicamp boicotam o Enade

Duas das mais importantes universidades públicas de São Paulo -USP e Unicamp- não vão participar do Enade (Exame Nacional de Desempenho) 2005 no próximo dia 6 de novembro.

O motivo seria o descontentamento com a política adotada pelo MEC (Ministério da Educação). Procurada pela reportagem do UOL Educação, a assessoria de imprensa da USP (Universidade de São Paulo) não quis informar a razão do boicote.

A Unicamp, que também se absteve de fazer o exame no ano passado, disse em nota oficial que a decisão não tem qualquer intenção de confronto com instâncias de deliberação federais.

"A Unicamp valoriza a avaliação institucional e foi uma das primeiras universidades brasileiras a implementar um programa desse tipo", disse um trecho da nota oficial. Atualmente, a Unicamp passa por um processo de avaliação institucional que tem paralelo com o Sinaes (Sistema de Avaliação do Ensino Superior).

A medida adotada pela USP e pela Unicamp baseou-se na lei 10.861, que instituiu o Sinaes e o Enade. O texto não é mandatório em relação às universidades estaduais paulistas, uma vez que a LDB (Lei de Diretrizes e Bases) define esferas de competência. A participação das universidades estaduais paulistas seria, portanto, em caráter voluntário.

Além disso, as universidades respondem ao conselho estadual da educação, que não as obriga participar do exame.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Diploma de jornalismo volta a ser obrigatório
Depois de quatro anos de disputa judicial, a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) conseguiu derrubar decisão que suspendia a obrigatoriedade de diploma para o exercício de atividade de jornalista no Brasil.

A 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região entedeu que o Decreto-Lei 972/69, que instituiu a obrigatoriedade do diploma durante a ditadura militar, foi amparado pela Constituição Federal de 1988.

Na última quarta-feira (26/10), centenas de manifestantes acompanharam o julgamento que aprovou, por unanimaidade, a volta do diploma. No recurso, a Fenaj alegava que o Ministério Público não era legítimo para mover ação sobre o assunto.

Com a decisão do tribunal, a obrigatoriedade já vigora em todo o território nacional para efeito administrativo. A partir de agora, nenhum registro de jornalista sem diploma poderá ser feito pelas DRT´s (Delegacias Regionais do Trabalho). As carteiras de jornalista emitidas para profissionais não diplomados nos últimos quatro anos só poderão ser canceladas após a publicação da decisão, ainda sem data definida.

O Ministério Público Federal e os sindicatos das empresas de rádio e televisão do Estado de São Paulo podem recorrer da decisão.

O presidente da Fenaj, Sérgio Murilo, acredita que a questão está liquidada, tanto pela legitimidade da decisão dos três juízes, quanto pela certeza da necessidade de diploma de graduação para o exercício da profissão. "Qualquer recurso representaria perda de tempo e dinheiro", disse.

Após o julgamento, os manifestantes deram um abraço simbólico no prédio do TRF (Tribunal Regional Federal) e fizeram uma passeata até a sede do sindicato paulista, onde aconteceu Plenária da campanha em defesa da profissão.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Professores da rede estadual de São Paulo suspendem greve

Os professores da rede estadual de São Paulo decidiram suspender

a greve iniciada na última segunda-feira (24), durante assembléia

realizada na tarde deste quinta, no vão livre do Masp, na avenida

Paulista (centro de São Paulo).

Cerca de 2.000 pessoas estiveram no local, segundo a Polícia

Militar. Houve congestionamento na região e, depois de realizarem

a assembléia, os professores seguiram em passeata até a praça

da República (centro de São Paulo).

De acordo com o presidente da Apeoesp (sindicato dos professores

do Estado), Carlos Ramiro de Castro, o governador Geraldo Alckmin

(PSDB) já se comprometeu a não reenviar à Assembléia Legislativa

o projeto de lei que pretendia alterar a contratação de funcionários

temporários.

O projeto havia sido enviado por Alckmin no início do mês, mas

acabou sendo retirado após polêmica. Há cerca de 113 mil

professores da rede estadual como temporários.

No domingo (23), Alckmin chegou a minimizar os efeitos da greve

e dizer que o movimento não tinha apoio entre os professores.

"É um movimento político, sem o menor respaldo no magistério,

e que está propalando inverdades".

No dia seguinte, Chalita disse que "é lamentável que sindicatos

ligados a partidos políticos partidarizem a educação".

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

GREVE DOS PROFESSORES

PELO ATENDIMENTO DE TODAS AS REIVINDICAÇÕES, TODOS À

ASSEMBLÉIA NESTA QUINTA-FEIRA

A greve e a mobilização dos professores forçaram o governo a

divulgar nota no Diário Oficial desta quarta-feira (veja abaixo)

declarando que não haverá demissões na rede e que 31,1 mil

professores aprovados nos últimos concursos serão efetivados

para ingresso no início de 2006.

Porém, é preciso que a Secretaria de Educação publique

imediatamente a Resolução de Atribuição de Aulas para o

próximo ano e atenda as demais reivindicações da categoria,

como a estabilidade a todos os ACTs e a alteração da matriz

curricular com seis aulas no diurno e cinco no noturno.

Nesta quinta-feira, 27 de outubro, é imprescindível que todos

participem da Assembléia, no vão livre do Masp. Vamos definir

os novos encaminhamentos para pressionar o governo a atender

as demais reivindicações buscando assegurar a qualidade do

ensino e a valorização dos profissionais.

DIA 27 DE OUTUBRO VÃO LIVRE DO MASP
14 horas: Ato público do funcionalismo
15 horas: Assembléia geral dos professores

EXIGIMOS: Estabilidade aos ACTs
Máximo de 35 alunos por sala
Extinção do PLC 26
Seis aulas no diurno e cinco no noturno
Nenhuma criança fora da escola
Nenhuma sala de aula fechada
Incorporação e extensão aos aposentados de todas as gratificações

Nota publicada na contracapa do Diário Oficial desta quarta-feira:

Estado vai efetivar professores concursados

A secretaria Estadual de Educação informa que, até o final de

dezembro, vai efetivar 31,1 mil professores aprovados em dois

concursos para Educação Básica, realizados em 2003 e 2005.

Esses professores, que começarão a dar aulas no início do ano

letivo de 2006, serão convocados oficialmente e terão de 16 de

novembro a 16 de dezembro para fazer a opção pelas escolas

onde irão trabalhar.
Essas efetivações já estão previstas no orçamento de 2006,

enviado para aprovação da Assembléia Legislativa em setembro.

Portanto, muito antes da polêmica criada em torno da questão

de contratações.
A rede estadual de ensino tem 213.152 professores, dos quais

100.582 (47,18% do total) são efetivos. Os temporários somam

112.570 (52,82 % do total). Com essas efetivações, o Estado

passará a ter 52,24% das vagas disponíveis preenchidas por

professores efetivos, o que representará o maior contingente

na rede pública do Estado em toda a história de São Paulo.


Não haverá demissões – Em teleconferência realizada para

professores e diretores de 5,4 mil escolas da rede estadual e

aos dirigentes da 89 Diretorias de Ensino nesta Segunda-feira,

dia 24, o secretário de Estado da Educação Gabriel Chalita,

declarou que nenhum professor da rede pública estadual será

demitido, enfatizando que a política de sua pasta é a

contratação e não a demissão “nem de professores temporários,

nem de ninguém”. Essa informação teve por objetivo tranqüilizar

a classe, que desde a última sexta-feira, dia 21, vem recebendo

notícias de possíveis demissões no quadro de temporários.
Durante a teleconferência, o secretário da Educação chamou a

atenção dos participantes para uma outra informação que vem

sendo divulgada e que também não é procedente: a de que

estaria para ser votado na Assembléia Legislativa um projeto de

lei que trata da demissão de professores temporários.

Fonte: agência Imprensa Oficial

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

GREVE CONTRA O PLC DO DESEMPREGO CRESCE NO SEGUNDO DIA DE PARALISAÇÃO

Em levantamento realizado pela Secretaria Geral de Organização da APEOESP, cerca de 30% das escolas em todo o Estado aderiram à greve. Algumas com 100% de paralisação.

O calendário aprovado pela Assembléia definiu os dois primeiros dias como um momento de esclarecimento e convencimento. Os comandos de greve em todas as regiões do Estado visitaram escolas nestes dois dias. O índice de adesão à greve está crescendo.
O governo estadual está declarando que não reencaminhará à Assembléia Legislativa o Projeto de Lei que possibilita a demissão dos professores ACTs. Porém, não há qualquer publicação oficial sobre a questão.

Em mais uma postura desrespeitosa, o governo desmarcou a reunião que aconteceria no próximo dia 27. Portanto, é imperativo que o movimento se fortaleça, com a participação maciça na Assembléia dos Professores. Vamos exigir a extinção do projeto de lei e a estabilidade de todos os professores ACTs.

Dia 27/10: 14 h Ato Público do Funcionalismo
15 h Assembléia Geral dos Professores seguida de passeata até a S.E.E.

DIREITO DE GREVE

Orientações da Secretaria de Legislação e Defesa dos Associados:

01. A greve é legítima. Está prevista no artigo 37, inciso VII da Constituição Federal. A inexistência de regulamentação por lei específica não implica em ilegalidade do movimento grevista.

02. A adesão à greve não implica, legalmente, em perda do cargo ou função pública, por não ficar comprovada, nesse caso, a intenção de abandono, pois o professor está em greve justamente para exigir condições para continuar trabalhando. Recomenda-se ao ACT, todavia, que no 15º dia assine o ponto e peça a justificativa e/ou abono das faltas anteriores.

03. A reposição de aulas, compensação de faltas e pagamentos dos dias parados dependerá da negociação das entidades com o governo, que necessita desse acordo para garantir o ano letivo.
04. O estágio probatório não é motivo para deixar de aderir ao movimento grevista, uma vez que a greve dos servidores públicos é constitucional.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

GREVE CONTRA O PLC DO DESEMPREGO!

A greve contra o PLC do desemprego continua!

É importante que os representantes de escola, os conselheiros e os diretores da APEOESP esclareçam a população sobre os motivos da paralisação. Também é imprescindível manter a visita às escolas explicando para todos os usuários a necessidade de pressionarmos o governo para que nenhum professor seja demitido e a qualidade de ensino seja assegurada.

Em Teleconferência realizada na manhã desta segunda-feira, o secretário Gabriel Chalita informou que não haverá demissões. Porém, não há qualquer publicação oficial que assegure esta afirmação.

O governo tem que extinguir o Projeto de Lei do desemprego e publicar imediatamente a Resolução de Atribuição de Aulas para 2006: esta continuará sendo a exigência da APEOESP durante reunião que acontecerá no dia 27 de outubro.

Em anexo a este Fax Urgente , publicamos cópia da carta distribuída para a população esclarecendo os motivos da greve.

Calendário aprovado na Assembléia dos Professores:

Dia 24 de Outubro: Início da GREVE. Reunião com professores e alunos

Dia 25 de Outubro: Reunião com Pais

Dia 26 de Outubro: Assembléias Regionais

Dia 27 de Outubro: 14h00 – Assembléia Estadual no Masp, seguida de passeata até a S.E.E./ Ato Público do Funcionalismo

Matéria Paga

A APEOESP veiculará matéria paga de 30 segundos nesta terça e quarta-feira, na TV Bandeirantes. Na terça-feira, a veiculação será no intervalo do Jornal da Band, a partir das 19h20. Na quarta-feira, intervalo do Brasil Urgente, a partir das 18h15.

CARTA À POPULAÇÃO

Greve em defesa da escola pública

Você que tem filhos matriculados na rede estadual de ensino sabe que as condições de trabalho são péssimas, os salários são baixos, as salas estão superlotadas, falta material pedagógico e a violência toma conta das unidades escolares.

Os professores aposentados têm os salários reduzidos porque o governo se recusa a incorporar bônus e gratificações. Para piorar, Alckmin encaminhou à Assembléia Legislativa o Projeto de Lei 26/2005, propondo a demissão dos mais de 120 mil professores ACTs (contratados em caráter temporário) da rede estadual de ensino. Por isso, nós, professores estamos em greve, desde segunda-feira, 24 de outubro.

O projeto do governo é uma espécie de aviso prévio para os ACTS, já que torna ainda mais precário e reduz o contrato de trabalho do educador, prejudicando a continuidade do trabalho pedagógico. Isso significa que quando o aluno estiver se adaptando ao método de trabalho de um professor, poderá, no semestre seguinte, ter outro professor em sala, que tem metodologia diferente. Ou pior ainda; poderá não ter professor, já que o processo de contratação será mais restrito.

Acreditamos que a população de São Paulo deve se unir para evitar mais este ataque do governador Alckmin à Educação e aos professores. É o futuro de seu filho que está em jogo

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

GREVE DOS PROFESSORES EM FAVOR DO EMPREGO DE 120 MIL

A greve deflagrada pelos professores da rede pública estadual é um

movimento em favor do emprego de cerca de 120 mil docentes

admitidos em caráter temporário. A opção pela greve foi adotada

em função do governo estadual não atender as reivindicações da

categoria, não publicar oficialmente que não haverá demissões na

rede pública de ensino e que o projeto não será reapresentado na

Assembléia Legislativa.

Não há absolutamente qualquer intenção em partidarizar o

movimento grevista, conforme declarações do governo estadual.

A APEOESP é uma entidade sem vínculos partidários que defende

a autonomia e liberdade sindical. Nas instâncias do Sindicato há

professores filiados a diversos partidos. Porém, a grande maioria

dos docentes vinculados à APEOESP não tem filiação partidária.

Governo não atende reivindicações

A greve dos professores é uma resposta ao descaso do governo.

Desde a publicação do Projeto de Lei 26 que possibilitaria a

demissão de cerca de 120 mil professores, a APEOESP vem

exigindo do governo a extinção definitiva do projeto. Somente

após a realização de uma grande manifestação no dia 05 de

outubro é que o governador decidiu retirar o projeto da Assembléia

Legislativa.

Porém, o posicionamento do governo é claro: rediscussão e

reencaminhamento do projeto à Assembléia Legislativa. A

APEOESP já informou que não discutirá qualquer possibilidade

de demissão dos professores ACTs. Por isso, exige a extinção do

projeto e a publicação de declaração oficial de que não haverá

demissões. Além disso, os professores querem a publicação

imediata da Resolução de Atribuição de Aulas para 2006.

Exigimos também que os professores admitidos em caráter

temporário possam ser contratados pelo sistema estatutário.

Há docentes com mais de 25 anos de dedicação ao Magistério

que poderão ficar sem emprego se o projeto, mesmo reexaminado,

conforme quer o governo, for encaminhado à Assembléia Legislativa.

E isto nós não podemos permitir. Por isto, os professores e a

APEOESP, entidade suprapartidária e autônoma, optaram pela

legítima forma de luta que é a greve. E a paralisação continuará.
Além disso, a APEOESP vem pressionando a Secretaria de Educação

para que as salas de aula tenham no máximo 35 alunos; que

trabalhemos com cinco aulas no noturno e seis no diurno; que todos

os professores aprovados nos concursos sejam efetivados; que haja

estabilidade para todos os ACTs; que a municipalização do ensino

seja encerrada; que os professores aposentados sejam respeitados;

que todas as gratificações, os bônus e abonos sejam incorporados

e estendidos aos professores aposentados. Desta forma, a qualidade

do ensino, a valorização aos profissionais e o respeito aos usuários

estarão assegurados.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Greve nas escolas paulistas começa com pouca adesão

 

São Paulo - A greve anunciada pelos professores de escolas

estaduais de São Paulo começou fraca nesta segunda-feira e deu

motivo para a Secretaria de Estado da Educação garantir que

nenhum colégio parou. Mas a reportagem percorreu pela manhã seis

estabelecimentos de ensino da capital e constatou que em dois

havia paralisação - nas Escolas Estaduais Professor Augusto Ribeiro

de Carvalho, na Freguesia do Ó, e Otávio Mendes, em Santana,

ambas na zona norte.

O Sindicato dos professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

(Apeoesp) não soube informar, à tarde, o índice de adesão. Comissões

de greve visitaram as escolas para incentivar os professores a cruzar

os braços.

O governador Geraldo Alckmin disse que não há razão para a greve.

"Não tem nenhuma mudança em vista, nenhuma lei, nenhum projeto.

A greve é política. A Apeoesp hoje é um braço do PT", afirmou. "Os

pais podem mandar os filhos para a escola porque tem professor e

merenda", recomendou, por sua vez, o secretário Gabriel Chalita.

O presidente da Apeoesp, Carlos Ramiro de Castro, disse que os

professores foram às escolas para esclarecer a situação aos pais e

alunos e depois os dispensaram por causa de uma teleconferência

com Chalita.

O principal motivo da greve é o Projeto de Lei Complementar 26, que

prevê a contratação por tempo determinado dos servidores temporários.

Para o sindicato, a medida prejudicaria 120 mil professores, se fosse

aprovada na Assembléia Legislativa. Diante dos protestos, Alckmin

retirou o projeto no início do mês e garantiu que não enviará outro.

Segundo a Apeoesp, ele realmente o retirou, mas para reestudá-lo.

Sem demissões

"Estranhei a proposta de greve porque o projeto não existe", reafirmou

Chalita. De manhã, em teleconferência com professores, diretores e

dirigentes das 89 Diretorias de Ensino de todo o Estado, ele garantiu

que não haverá demissões. "Não há a menor possibilidade de o projeto

voltar."

De acordo com o secretário, 32.100 professores aprovados nos

concursos deste ano e de 2003 serão nomeados até 31 de dezembro

- essa era outra reivindicação da categoria. A secretaria também

prevê novo concurso para professores de educação básica II de

matemática, física, geografia, educação artística e filosofia no

primeiro semestre de 2006.

Para Castro, ainda falta uma declaração oficial da secretaria. O

cronograma do movimento, segundo ele, continua nesta terça-feira

com as reuniões com os pais, assim como está mantida a manifestação

marcada para quinta-feira à tarde na Avenida Paulista.

Fonte: Estadão

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Serra aprova lei para criar sistema de avaliação da rede municipal

 

O prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB) sancionou o projeto de

lei que institui o Sistema de Avaliação de Aproveitamento Escolar a

partir de junho de 2006 para os 193 mil alunos da rede municipal que

estarão cursando a 4ª e 8ª séries do ensino fundamental ou cursos

de jovens e adultos.

Ele também sancionou nesta sexta-feira o projeto que inclui o tênis

como item do uniforme escolar da rede, que é obrigatoriamente

fornecido pela prefeitura. Ambas leis ainda terão que ser submetidas

a regulamentação.

A avaliação deverá ser implantada gradativamente. Em 2006, ela

envolverá somente a língua portuguesa. Os resultados deverão ser

divulgados a alunos, pais e educadores.

A expectativa é que o sistema envolva todas as séries do ensino

fundamental --avaliadas em língua portuguesa, matemática, ciência,

história e geografia-- e do ensino médio --avaliadas em português,

matemática, história, geografia, química, física e biologia.

Em nota divulgada à imprensa, Serra reconheceu que a educação na

capital é insatisfatória. "Tem boas salas de aula, boa merenda, bons

professores, as condições externas são boas, mas o aprendizado ainda

deixa a desejar e é nisso agora que estamos investindo."

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Cerco ao  plágio inclui teatro e aula na rua

O papel vem sendo colocado de lado nos trabalhos em algumas

escolas de São Paulo para evitar que os alunos simplesmente

copiem os textos da internet. No colégio Bandeirantes, por

exemplo, são utilizadas encenações.

Em uma das salas da oitava série do ensino fundamental, foi

lançada a questão: ""com a atual crise política, muitas pessoas

acham que o regime militar é uma boa solução; você concorda?"

Os estudantes tiveram de pesquisar na internet textos sobre

aquela época para, então, se posicionar. Os alunos foram divididos

em dois grupos, os que concordam e os que discordam. O último

passo foi fazer um teatro simulando um tribunal, com alunos

defendendo o regime, outros atacando e um aluno representando

o juiz. O restante acompanhava na platéia. Para a professora Silvia

Brandão, que aplicou a atividade, os alunos tiveram "uma

aprendizagem crítica" sobre o período.

"Atividades como essa evitam que o aluno só copie da internet",

diz o professor da Faculdade de Educação da Unicamp Sérgio

Ferreira do Amaral. "Métodos assim devem ser feitos tanto na

escola pública quanto na privada."

Outra atividade não-convencional foi aplicada no colégio Assunção.

Para aprender a fazer e a mexer com mapas, os estudantes da quinta

série foram para a avenida Paulista, onde identificaram todos os

pontos em que havia venda de pães em um dos lados da via.

Depois, anotaram todos os estabelecimentos em geral. No final,

fizeram um mapa, mostrando onde havia venda de pães na

Paulista. "Assim, como ele vai copiar alguma coisa da internet?",

diz a coordenadora pedagógica da escola, Silvia Russo.

Até mesmo a CowParade (conjunto de 150 vacas de fibra de vidro

espalhadas desde setembro pela capital paulista) foi fonte de

inspiração para driblar a cópia de trabalhos. No Santo Américo,

os alunos tiveram de ler textos publicados na imprensa sobre o

que o Brasil tem de positivo. Então, eles montaram vacas que

demonstraram, por imagens, o que eles haviam lido. Um deles

citou a fé. Para isso, o animal foi enfeitado com fitinhas do Senhor

do Bonfim.

Visitas

O site Zé Moleza exemplifica a facilidade que os estudantes têm

em acessar trabalhos prontos. No endereço há mais de 16 mil

textos. Alguns dos temas são a febre amarela, a fome no mundo

e a civilização asteca.

O site, que começou a funcionar em 2000, contabiliza 250 mil

visitantes, em média, por mês. Edson Outani, um dos sócios,

afirma que o endereço "é uma ferramenta de democratização

da informação".

"Chegamos a cidades pequenas, sem bibliotecas, em que as

pessoas não teriam acesso a essa informação", diz Outani.

"Deve ter gente que cola. O que a pessoa fará com a informação

não compete a nós regular."

Em outro endereço, em que o termo "cola" consta já no nome, a

cópia de trabalhos é mais declarada. Há até um mural de recados,

em que os alunos chegam a pedir a ajuda dos outros. Uma das

mensagens postadas na última sexta-feira era "preciso de um

trabalho de filosofia sobre concepções de politica para terça-feira.

Se puderem me mandar eu agradeço."

Fonte: Folha de S.P.

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Má escolha é a maior causa de evasão

Um estudo inédito realizado na USP mapeou as causas da evasão

no ensino superior. A pesquisa constatou que quase metade dos

estudantes que desistem da graduação tiveram problemas no momento

da escolha. Por pressões dos pais, por falta de informação sobre a

faculdade ou sobre o mercado, 44,5% dos alunos acabam abandonando

o que era seu sonho de realização profissional e se tornou a opção errada.

Outros 30,7% desistem por não gostarem da estrutura do curso que

 ingressaram. Depois, seguem os insatisfeitos com o mercado de trabalho

 e com a profissão, que somam 13,4%. Os que desanimam por razões

pessoais --como problemas familiares, financeiros, afetivos-- são 10,5%.

 Menos de 1% é motivado a largar a faculdade por não se adaptar à

cidade em que ela se localiza.

Para a professora Yvette Piha Lehman, autora da pesquisa que defendeu

como tese de livre docência, uma alternativa para as universidades

evitarem o abandono é oferecer atendimento e orientação profissional.

Ela coordena o Serviço de Orientação Profissional do Instituto de Psicologia

da USP. "Do total dos alunos que passaram pela orientação, 73%

conseguiram clarear os motivos da crise e não desistiram do curso",

afirma.

"A consciência da dinâmica facilita o jovem a não ficar paralisado.

Ele tem de sustentar uma escolha e paixão. Precisa sentir que está

crescendo e não achar que saiu perdendo ao fazer a escolha."

No trabalho, 180 jovens que estavam em crise ou desistiram do ensino

superior foram entrevistados. Deles, 85 eram de universidade pública

e 95 de universidades particulares. Todas as entrevistas aconteceram

entre 1996 e 2002, e a pesquisa foi apresentada por Yvette em

setembro.

No Serviço de Orientação Profissional e Vocacional da Unesp de

Araraquara, a realidade é praticamente a mesma, segundo a

psicopedagoga Maria Beatriz de Oliveira. A coordenadora afirma que,

apesar de ainda não ter estatísticas, a prática mostra que o principal

motivo da desistência é mesmo a escolha malfeita.

"Há várias causas. Uma delas é a falta básica de informação condizente

com a realidade." Por isso, a professora organiza uma feira de profissões

com dados sobre o curso e o mercado.

Quando acontece

Yvette constatou que, quando a desistência acontece no início do

curso, está relacionada diretamente à escolha. "Outros motivos são

a dificuldade de se adaptar às exigências e aos professores e à

mudança do ensino médio para o superior", afirma.

Já quando os jovens se decepcionam no decorrer da graduação --por

volta do quarto e do sexto semestres-- é porque começaram a se

questionar sobre o sentido da profissão. "A angústia é maior, pois eles

já se envolveram com boa parte do curso. Nessa hora, eles buscam

maior certeza com o que vão se comprometer."

No final do curso, de acordo com a tese, as questões são mais objetivas

e se referem ao mercado de trabalho, à busca de emprego.

Fonte: Folha de S.Paulo

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem




.

.

Professor corrige seu trabalho copiado

Imagine a situação: o professor vai corrigir um trabalho e percebe

 que já viu aquele texto antes. Lê mais um pouco e descobre que

trata-se de uma pesquisa que ele próprio fez e publicou.

E como se não fosse o bastante, ainda há o agravante de que não

se trata de uma simples atividade para compor a nota do bimestre.

O aluno que copiou o trabalho estava utilizando-o como uma tese

de mestrado.

O caso é verídico e aconteceu com o professor de marketing André

Robic, que atualmente é diretor do IBModa (Instituto Brasileiro de Moda,

 localizado em São Paulo, especializado na área).

O trabalho copiado foi apresentado quando ele integrava uma banca

 de mestrado em uma universidade particular paulista, cujo nome ele

 preferiu não revelar para evitar constrangimentos. Isso mostra que o

 aluno sequer se deu ao trabalho de conferir se o nome do autor do

trabalho que copiou batia com os dos professores que comporiam a

 sua banca.

"O cara cortou uma parte, mudou uma ou outra coisa. Mas não

acrescentou uma só informação", lembra. "Claro que foi reprovado.

E nem pôde retomar o curso", completou o professor.

Robic é freqüentemente convidado para formar bancas de mestrado

 e de doutorado em instituições privadas ou públicas, como a USP,

 onde fez suas pós-graduações. Ele afirma que, quando desconfia da

construção de alguma passagem do texto, costuma procurar esse

trecho no site de buscas da internet Google.

"É um hábito. Sei de casos em que pessoas copiam dez páginas de

 um trabalho e nem citam a fonte", afirma.

Fonte: Folha de S.Paulo

Editado por NilceuProf

Haloscan

Zip Net


Enviar esta mensagem